segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Pé ante pé você chega onde quer E "antes feito do que perfeito"

Pessoal.

Nós temos pouquíssimas certezas sobre muito poucas coisas em saúde. A maior parte do que vocês

vêem ser divulgado por aí, em TV, internet e revistas, são os modelos teóricos mais aceitos atualmente e não, necessariamente, a realidade. É importante que os profissionais de saúde tenham consciência de que estamos em um processo de constante evolução e precisamos ter a humildade de reconhecer isso, sob pena de causar danos aos pacientes.

Muitas informações taxativas são divulgadas de tempos em tempos. Sempre surge "o método definitivo para emagrecer", "o método mais eficaz para parar de fumar" ou "o estudo que comprova que a substância A é péssima pro organismo e a B é excelente". Isso acontece toda hora e só mostra como estamos buscando, mas ainda estamos longe de encontrar, os verdadeiros detalhes determinantes da nossa saúde plena.

Digo tudo isso pra afirmar uma outra coisa: cuidado com os radicalismos. Muitos podem me questionar, quando falo em radicalismos, mas quero realmente que reflitam sobre isso. Quando radicalizo pedindo para eliminarmos totalmente o açúcar de nossas vidas, tenho motivos compartilhados por boa parte da comunidade científica mundial e, mesmo assim, não fico "passando pito" naquele paciente que fraqueja ocasionalmente. Eu mesmo passo por isso! Quase todos nós fomos "viciados" em alguns tipos de alimentos desde bem pequenos, fixando péssimos hábitos alimentares, mas acreditando, por muito tempo, que era tudo normal e bom.

Não é fácil mudar certos hábitos, principalmente quando eles envolvem substâncias viciantes como o açúcar, que ativa seu cérebro nos mesmos lugares que a cocaína, por exemplo. Os hábitos alimentares também trazem um conteúdo emocional muito denso e isso não se muda facilmente em todos os casos. Dá trabalho. Precisamos usar artifícios de acordo com cada pessoa, respeitando suas individualidades.

Por tudo isso eu quero que você entenda que talvez seu processo de mudança de hábitos nocivos para saudáveis seja um pouco menos linear do que te fizeram imaginar. Eu te recomendo, inclusive, que procure realizar as modificações de forma paulatina, passo-a-passo, ou pode falhar, se não em tudo, em boa parte.

Canso de ver isso no consultório. É aquele paciente que chega cheio de entusiasmo mas comete o engano de tentar fazer dieta, começar a malhar, parar de fumar, parar de beber, dormir cedo, beber mais água, parar de chutar o cachorro e ir à missa todo domingo, tudo de uma vez. Dificilmente há sucesso em tantas mudanças simultâneas.

Pense em realizar as coisas uma de cada vez e planeje isso direitinho com os profissionais de saúde que estejam te acompanhando. Qual o problema em levar 6 meses ou 1 ano para corrigir 25, 30 ou 50 anos de erros? Acredito que você vai sair na vantagem de qualquer jeito. Inclusive, se você conseguir 50% ao invés de 100%, antes de pensar em fracasso observe que você CONQUISTOU metade do caminho! Veja o copo meio cheio e use isso para te motivar a continuar, nunca para se satisfazer com pouco.

Vamos pensar com cautela e lembrar de curtir o caminho para dar consistência aos resultados.

Lembre que, como diz nossa Coach Mel Oliveira, "ANTES FEITO DO QUE PERFEITO".