quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Mudança

Este texto é uma contribuição da nossa parceira Isaura Andrade, psicóloga componente da Equipe Sallus Saúde Integrada.

A palavra mudança significa alteração de um estado, modelo ou situação anterior. Quando pensamos em mudar algo, logo pensamos no esforço que teremos que fazer, em todas as dificuldades que iremos (ou podemos enfrentar) e, com isso,no processo de mudança devemos esta atentos atrês pontos importanteso da Bagagem Emocional, onde são armazenados nossos medos, traumas, cicatrizes, mágoas, experiências anteriores, a do Habito, onde devemos perceber o quão alguns dos nossos hábitos do dia-a-dia podem confirmar-se como obstáculos à implementação da mudança escolhida e o Ambiente em que escolhemos estar inseridos, devemos ficar atendo às rotinas que implementamos nas nossas vidas. Verifique se facilitam ou se prejudicam o que pretende mudar. Observe que, mesmo com a vontade (desejo) de mudar, se não estivermos atentos aos três pontos anteriores, podemos continuar com a mesma Bagagem Emocional, com os mesmos Hábitos, com os mesmos Comportamentos e nos mesmo ambiente que nos levam à obtenção dos resultados anteriores. 

Ex: Uma pessoa identifica a necessidade de emagrecer. A mesma vai ao médico. Em muitos casos, matricula-se em uma atividade física mas pode, mesmo que inconscientemente, realizar a auto-sabotagem (não frequentar a academia, cometer excessos  e realizar a ingestão de alimentos inadequados, não seguir à risca as recomendações médicas e, com isso não alcançar o objetivo) e ficar trocando de dieta periodicamente.

No exemplo acima, os resultados obtidos pelo comportamento exercido serão a manutenção do peso e o afastamento do objetivo estabelecido. Não se deve esperar resultados diferentes para comportamentos iguais.

Mudar implica muito mais que vontade.Implica questionar-se o porquê de mudar. Para quê mudar? Qual a importância de realizar a mudança? Qual o significado que essa mudança vai ter na sua vida, no seu dia-a-dia, na sua relação consigo mesmo, com os outros e com o mundo? Quem vai beneficiar? Você, a sua família, os seus amigos, o seu patrão, a comunidade? O que será deixado para trás? Buscar compreender o que originou a vontade de mudar e conscientizar-se sobre o que seja necessário ser abdicado. Busque também imaginar-se após a conclusão da mudança, pois isso ajudará a aproximar o atual de onde se quer chegar.

Entender os motivos do que ou do porquê queremos mudar é uma parte do autoconhecimento e nos leva a perceber mais claramente algumas situações e comportamentos, mas por si só não gera a mudança. As mudanças precisam de tempo, reflexão, vontade, coragem e novas atitudes. Além disso, olhar para si mesmo exige que reconheçamos aspectos nossos desagradáveis ou inimagináveis, e isso não é tarefa fácil porque, muitas vezes, nos faz perceber que o problema que nos incomoda tanto no outro é também nosso.

Após definir o que quer mudar e por que quer, é hora de estabelecer metas e prazos. Essas metas e prazos devem estar bem definidos e delimitados.

Por exemplo: se pretende perder peso, não deverá dizer apenas “eu quero perder peso”. Deverá ser específico. Quanto peso pretende perder, em quanto tempo, como é que a sua vida ficará depois do resultado e o que irá sentir ao obter sucesso. Você quer bem-estar, felicidade, segurança e confiança? Escreva isso. Estabeleça o seu objetivo de forma clara, específica, positiva e que dependa de si para alcançar o resultado – “Eu pretendo perder cinco quilos no espaço de 3 meses. Para que isso aconteça, vou iniciar uma dieta e exercícios físicos na próxima semana, pois quero sentir-me confiante e orgulhoso do meu corpo”. Busque sempre estabelecer metas e um prazo razoável (factível) para o cumprimento dessas metas.

Muitas mudanças podem ser realizadas sem sofrimento, exaustão, ou crises se os questionamentos anteriores forem realizados.

A mudança consciente é um processo diário, saudável, que exige significar seus comportamentos e pensamentos, disciplina e principalmente mudanças de comportamento.

Então, coragem!


É certeza que as mudanças são inevitáveis e que sustentam nossa caminhada.