terça-feira, 31 de março de 2015

"Tô pagano..." e a sua responsabilidade

As pessoas são, realmente, seres muito interessantes.

Vem gente procurar nossos serviços pelos mais variados motivos. De frieira no pé a câncer, passando por todo tipo de condições, patológicas ou não, que você possa imaginar. Isso me deixa muito feliz, pois mostra que estão dando votos de confiança ao nosso trabalho, mas também me fez identificar um tipo de paciente muito especial, com uma síndrome bem específica: a "Síndrome de Lady Kate".

Pra quem não sabe ou não se lembra, esta é uma personagem humorística da TV que usava o bordão "tô pagano..." pra absolutamente tudo. Na visão dela, como tinha dinheiro e estava pagando, tudo tinha que se resolver.

Pois é. Tem pessoas assim no nosso dia-a-dia também. São aquelas que acreditam que o fato de estarem pagando uma consulta, pagando pelos seus suplementos ou medicamentos, já garante o sucesso do tratamento. Vêem o processo de resgate e manutenção da saúde como a compra de um sapato ou brinquedo, com todas as implicações e soluções derramadas sobre o profissional que as assiste e/ou os remédios e suplementos prescritos.

Pra estas pessoas, eu tenho uma "novidade": não é assim que funciona.

De nada adianta ser atendido por um bom profissional, que faça uma prescrição acertada se você, por exemplo, não fizer uso dos itens prescritos. Simples, né? O médico te passa um medicamento e você não toma. O nutricionista orienta sua dieta e você não segue. O educador físico te diz que exercícios fazer e você não faz. Adianta alguma coisa? O simples fato de pagar estes profissionais e seus tratamentos garante algum resultado. É claro que não!

Se você não vai pra cima, toma o processo nas suas mãos e começa a ter atitudes de acordo com o que foi orientado, nunca vai alcançar nenhum resultado, POR MAIS CARO QUE PAGUE! Entenda sempre que este protagonismo é FUNDAMENTAL. Sua saúde é sua responsabilidade, pessoal e intransferível. O máximo que qualquer profissional de saúde pode fazer por você é orientar e sugerir atitudes que te trarão benefícios, mas VOCÊ precisa executá-las.

Além de tudo isso, também existe uma outra questão. O tempo necessário para alcançar as metas é extremamente variável e individual. O que foi bom pro seu irmão ou pra sua vizinha não será, necessariamente, bom pra você. Isso é óbvio... mas então por que se insiste tanto nas comparações?! "Fulana de tal perdeu X quilos e eu não!" Vamos parar com isso? Assim como os esforços são individuais, os resultados são mais ainda. O seu é seu, o do outro é dele. Aprenda a se comparar com seu próprio estágio anterior, avaliando seu desenvolvimento sobre si mesmo(a), vencendo suas próprias barreiras pessoais.

Pra completar, cuidado com promessas de resultados muito fáceis, rápidos e sem esforços, que costumam estar pautados em substâncias milagrosas ou dosagens exageradas e inoportunas de hormônios. Uma coisa é uma reposição, outra coisa é o uso dos hormônios com outras finalidades. Quem quiser usar, que use com consciência, sabendo o que está fazendo e acompanhado por um profissional que assuma também sua responsabilidade, fazendo a melhor adequação individual possível para o processo. Não entre enganado(a), nem finja estar sendo enganado(a). Tome pra si a responsabilidade de arcar com as consequências e, na dúvida, NÃO FAÇA.

Não se paga, simplesmente, por um resultado positivo, Lady Kate. Isso se constrói. Isso se CONQUISTA.

Conquiste seu sucesso!