terça-feira, 1 de novembro de 2016

Linhaça X Sintomas da Gastrite

Este post foi preparado pelo Nutricionista Anselmo Santos CRN 8127/P

A linhaça está cada vez mais presente no hábito alimentar da população. São vários os seus

benefícios, além depossuir efeito anti-inflamatório, controlar o colesterol e pressão arterial, melhora o funcionamento do intestino, alivia a TPM, auxilia na queima de gordura corporal e aindapode ser utilizada paraaliviodos sintomas da gastrite, onde muita gente não sabe desse efeito terapêutico que ela possui.

Como fazer?

- Você pega 25 gramas de sementes de linhaça, adicione água filtrada até cobrir todas as sementes e deixa de molho durante 6 horas;

- Após esse tempo se formará uma nata de cor meio transparente a partir das sementes;

- Beba essa nata no jejum por um período, que certamente você perceberá uma melhora dos sintomas causados pela gastrite.

É óbvio que esta dica não substitui uma consulta médica e/ou o acompanhamento mesmo por um gastroenterologista, mas pode salvar sua pele em crises esporádicas e reduzir a necessidade do uso de medicamentos constantes.







Vale lembrar que existem dois tipos de linhaça. Você sabe qual escolher?

A linhaça dourada é frequentemente encontrada em locais de clima frio, sua casca é mais fina e seu sabor mais suave. Já a marrom é proveniente de climas mediterrâneos e por isso se adapta mais facilmente aos solos brasileiros, sendo encontrada aqui com mais facilidade. Em termos nutricionais a diferença entre ambas é muito pequena e faz com que sejam iguais na eficiência. O mais comum é que a dourada seja vendida por um preço maior, pois geralmente é importada, porém, isso não faz com que ela seja melhor e nem mais indicada. É realmente uma questão de gosto do consumidor.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Sobre posicionamentos e como um Ortomolecular deve se comportar

Quem acompanha o blog aqui e o nosso trabalho na Sallus sabe muito bem qual é nosso

posicionamento em relação à mídia. Em geral, somos reservados e não costumamos nos expor, bem como não expomos as estórias de nossos pacientes. Acreditamos que isso é um comportamento ético e buscamos manter nossas divulgações no âmbito mais técnico, com matérias que esclarecem aspectos de saúde e/ou artigos neste mesmo sentido.

Temos feito uma divulgação, também, do nosso serviço de Coaching, simplesmente pelo fato de muitas pessoas ainda não conhecerem este tipo de trabalho. Esta divulgação é feita através destas frases e comentários que repostamos de @coach_meloliveira quase que diariamente.
Sempre nos cobraram a colocação de vídeos na internet. Resistimos muito a isso por fatos simples:

1. não sabemos fazer;
2. sempre tivemos dúvidas sobre os limites éticos de fazer;
3. temos dificuldade em organizar mais atividades além das já executadas.

Passamos por cima de tudo isso para publicar nosso primeiro vídeo (ASSISTA AQUI), justamente explicando o que é a Ortomolecular, de fato, por um motivo que sobrepôs todos os outros:

TEM MUITA GENTE FALANDO E FAZENDO BESTEIRA EM NOME DA ORTOMOLECULAR POR AÍ.

Infelizmente, muitos colegas da área de saúde têm se posicionado de forma incorreta no que diz respeito à Ortomolecular. Esta prática terapêutica, reconhecida pelo CFM desde 1998 e tendo este reconhecimento ratificado em 2010 e 2012, tem como objetivo recuperar o equilíbrio bioquímico fisiológico do paciente, melhorando sua saúde e proporcionando mais produtividade, felicidade e prevenção de doenças. A Ortomolecular foca em uma reedição inteligente dos hábitos de vida e no uso consciente da suplementação nutricional para alcançar seus objetivos. Veja mais sobre a Ortomolecular AQUI e AQUI TAMBÉM.

Dito isso, fica claro que as condutas ortomoleculares tendem a ser ponderadas e moderadas, não podendo acontecer de forma acelerada e nem intensa demais. Salvo po alguns resultados das terapêuticas venosas, que utilizamos para casos específicos, as atitudes terapêuticas ortomoleculares costumam trazer resultados mais lentamente mas, também por isso, muito consistentes e duradouros.

A defesa desta terapêutica, que foi uma luta de grandes mestres como Dr Helion Povoa Filho, Dr Efrain Olszewer, Dr Jose de Felippe e muitos outros nobres e aguerridos professores, não pode ser perder em condutas sensacionalistas, como vemos hoje, com tanta gente buscando um "abdome de tanquinho" em 2 meses! Qual o custo disso?! Não parece óbvio que este tipo de "conquista" não pode ser naturalmente mantido? Não parece óbvio que a SAÚDE envolve muito mais aspectos do que o simples aspecto estético? Nenhuma crítica aos colegas que praticam esta modalidade de assistência com resultados bem rápidos e focada no aspecto estético, mas peço que evitem relacionar isso com o termo ORTOMOLECULAR, pois simplesmente não se aplica.

Um profissional que se dedica à Ortomolecular vai, certamente, conversar longamente com você dando importância a diversos aspectos da sua vida, muitos deles que nunca outro médico te perguntou; vai te pedir muitos exames para tentar definir alguns padrões de funcionamento de seu organismo, vai prescrever suplementos e/ou medicamentos, de acordo com suas queixas e, depois de ver seus exames, complementará esta prescrição de forma a torna-la ainda mais personalizada; só te prescreverá hormônios em REPOSIÇÃO, com raras e específicas excessões; pode te propor diversas outras terapêuticas, devidamente embasadas, que podem fazer parte da esfera Ortomolecular ou não (quando não o fizerem, que seja dito).

Por tudo isso, também, resolvemos fazer o primeiro vídeo e, como a resposta foi muito boa, faremos muitos mais. Não vamos nos furtar da responsabilidade de participar do esclarecimento do que é uma Ortomolecular DE FATO, focando a saúde e a prevenção bem como a felicidade e a qualidade de vida de nossos pacientes. É muito bom que este tipo e divulgação seja feito tanto para orientar os pacientes no que eles vão encontrar quanto para ajudar os colegas, que queiram participar desta área de trabalho tão fantástica, a se comportar de uma forma mais coerente com a proposta.

Estamos todos juntos nessa!

Saúde e Paz a TODOS!

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Oleaginosas: como armazenar?

Este texto é mais uma contribuição da Nutricionista Lorena martins (CRN-9074) - lore.martins@hotmail.com. Será que você sabe como armazenar as oleaginosas? Vamos aprender!
Este é um grupo alimentar composto pelas castanhas, nozes, pistache, avelãs, dentre outras, que tem propriedades antioxidantes, sendo ricas em minerais, vitaminas e gorduras poli-insaturadas, dentre elas os ômega 3 (saiba mais sobre eles AQUI). Porém, muitas pessoas ainda se perguntam como deve ser o armazenamento correto para que durem por bastante tempo.

Antes de tudo, deve-se ter certo cuidado no momento em que for comprar o produto. Se for a granel, é necessário conhecer a procedência, além de ser em um local de confiança, pois é mais suscetível a mofo ou pequenos ovos de insetos. O ideal é compra-las embaladas, lembrando sempre de observar a validade do produto.

Quanto ao armazenamento, se comprada em saquinhos, é importante salientar que sejam retiradas dos mesmos, sendo colocadas em recipientes limpos, secos, preferencialmente de vidro e com fechamento hermético ou com rosca, bem vedado, para evitar o contato com o ar e entrada de insetos.

Por terem alto teor de gorduras e antioxidantes, as oleaginosas ficam sensíveis à temperatura ambiente, luminosidade, ou até em contato com o ar. Para evitar que haja perdas nutricionais e ranço proveniente da gordura, é ideal que sejam armazenadas sob refrigeração.


Estando refrigeradas, é possível também evitar a perda da umidade e o desenvolvimento de mofo. Em temperatura ambiente, podem durar duas semanas. Sob refrigeração podem durar meses. Lembre-se de sempre observar a cor e o sabor, pois colorações mais escuras podem indicar que já houve perdas nutricionais, não estando mais adequadas para o consumo.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

ORTOMOLECULAR: O que é (de novo)?

Volta e meia, precisamo voltar a este tema. Afinal de contas, o que é Ortomolecular?

Já falamos sobre isso em posts anteriores, mas vejo a necessidade urgente de voltar ao assunto agora com o objetivo de informar os pacientes e de proteger a imagem profissional daqueles que se dedicam a esta prática.

Ortomolecular é um termo cunhado por Linus Pauling, nos idos da década de 60 do século passado, que sintetiza a idéia de busca da "retidão molecular", ou seja, uma organização das moléculas do organismo que proporcionaria saúde e/ou determinaria a cura de muitas doenças. Como você pode ver, trata-se exclusivamente de um conceito, mas que levou ao desenvolvimento de novas pesquisas e técnicas dentro da área de saúde.

Muita coisa mudou e Linus Pauling pra cá. Teve um aspecto que se firmou muito com o tempo: o fato de o praticante da Ortomolecular buscar dar uma atenção integral e integrativa a seu paciente. Isso quer dizer que TODOS os aspectos da vida do indivíduo, e de sua saúde, nos interessam e que devem ser abordados considerando TODAS as possibilidades de melhora, como reza o código de ética médica e o juramento de Hipócrates. Este pensamento nos leva, também, à percepção de que uma abordagem multiprofissional será sempre melhor do que um profissional sozinho, o que une as forças das diversas subdivisões da área de saúde em uma assistência mais capaz.

Um profissional dedicado à prática Ortomolecular, seja ele médico ou nutricionista, não vai assumir condutas esquisitas ou arriscadas com você. Tudo que fazemos é baseado em muita pesquisa, principalmente na área de bioquímica aplicada. Atrapalha muito a nossa imagem quando um profissional, que utiliza uma prática incomum qualquer, se diz Ortomolecular por causa disso. A idéia não é ser esquisito, mas sim completo e complementar ao que já existe, muitas vezes.

Buscamos ser complementares pelo fato de considerarmos que a prática médica, como é exercida hoje, deixa a desejar em muitos aspectos, principalmente no que diz respeito ao cuidado com a pessoa humana em si. Além disso, vemos falhas práticas e conceituais em diversos tratamentos que parecem se manter incorretos por força de interesses econômicos e/ou políticos, caracterizando a dita "medicina da doença", em muitos casos.

Outra coisa importante é sobre modulação e reposição hormonal. Nem todo médico dedicado à Ortomolecular vai, necessariamente, saber fazer estas duas coisas. Não é atribuição específica dos Ortomoleculares, apesar de terem sido eles grandes defensores e praticantes da técnica nos últimos 15 anos (eu mesmo já utilizo, com meus pacientes, há 11 anos). É comum encontrar médicos dedicados à Ortomolecular que buscaram treinamento adequado na área de reposição e modulação hormonal, mas isso não é obrigatório.

Também não é correto ver a Ortomolecular como "técnica de emagrecimento". Muito menos correto é falar em "dieta Ortomolecular". Os profissionais que se dedicam a esta prática têm o costume de lidar com o emagrecimento pelo simples fato de trabalharem muito dentro da área de metabologia, mas isso serve tanto para emagrecer quanto para tratar diabetes, por exemplo.

Em resumo, Ortomolecular é uma prática que se propoe a reequilibrar sua saúde através do seu reequilíbrio bioquímico e isso passa por hábitos de vida saudáveis e uma suplementação nutricional personalizada, quando necessária. Como qualquer conduta médica, não realiza milagres, mas pode te trazer resultados excelentes em termos de qualidade de vida e no tratamento complementar das mais diversas doenças, da hipertensão ao câncer.

Ortomolecular também não TEM que ser necessariamente caríssimo. É importante que você, enquanto paciente, converse claramente com o profissional que te atende, estabelecendo até que limites pretende chegar. Um tratamento perfeito TEM que ser possível de se realizar. De nada adianta uma prescrição ideal se você não tiver recursos para adquiri-la. Se dialogar com o profissional que te assiste direitinho, certamente ele apresentará alternativas para viabilizar o tratamento.

Só pra fechar, que fique claro para todos que a Ortomolecular é prática médica reconhecida pelo CFM desde 1998 e que este reconhecimento foi ratificado em 2010 e 2012, OK?

Pronto. Tomara que tenha ficado claro. Se não ficou, manda e-mail pra mim e me pergunte mais o que for necessário, OK?

Saúde e Paz a todos!

segunda-feira, 18 de julho de 2016

6 DICAS IMPORTANTES para você escolher CORRETAMENTE o peixe

Este texto é mais uma contribuição da Nutricionista Lorena martins (CRN-9074) - lore.martins@hotmail.com. Aproveite estas informações para garantir saúde para você e sua família.

O peixe é um alimento que deve ser escolhido e conservado de forma adequada, sendo necessário estar bem atento para garantir a qualidade da refeição que será oferecida para sua família. Neste post, vamos ver algumas dicas fundamentais para que sua experiência com este alimento seja sempre positiva.

1. É necessário comprar este tipo de alimento, que é perecível, por último, no final da
 compra, garantindo que as chances de estragar sejam menores.

2. Preste bastante atenção no estabelecimento:
·         Boas condições de higiene e instalações;
·         Equipamentos e uniformes de funcionários limpos e organizados;
·         Freezers e refrigeradores com termômetro para que se acompanhe a temperatura de conservação dos produtos.

3. Observe se o alimento está imerso em uma camada generosa de gelo, pois isso vai reduzir a proliferação de microrganismos.

4. Os olhos não podem estar fundos, devendo estar salientes, brilhantes e sem manchas; carne firme, branca ou rosada; as escamas firmes e brilhantes; o odor deve ser agradável, característico, que lembre maresia e algas; a aparência do pescado deve estar livre de sujeiras, manchas ou perfurações.

5. Quando comprado já embalado, congelado, observe a data de validade e a temperatura de armazenamento. Se for utilizar em até dois dias, pode ficar no refrigerador com temperatura entre 4ºC e 5 ºC; se for ultrapassar dois dias, é ideal congelar, podendo durar até um mês no freezer.

6. Os peixes salgados devem ser mantidos em locais frescos ou refrigerados, sendo congelados após a retirada do sal. Se adquirir o peixe inteiro, retire todas as vísceras, lave em água corrente e deixe o produto pronto para sua preparação. Antes de preparar, é necessário descongelar sob refrigeração. O desgelo não pode ser feito em temperatura ambiente. Uma vez fora da geladeira, é preciso ser preparado.


Não esqueça que a higiene é muito importante na hora do preparo. Lave as mãos e evite a contaminação cruzada. Nunca utilize os mesmo utensílios para alimentos cozidos e crus e mantenha a bancada sempre limpa e bem higienizada.

terça-feira, 12 de julho de 2016

Ovo: como escolher, armazenar e preparar?

Este texto é uma contribuição da Nutricionista Lorena martins (CRN-9074) - lore.martins@hotmail.com - e traz muitas informações úteis sobre este fantástico alimento. Veja mais AQUI.

Essa é uma dúvida muito comum entre as pessoas no momento em que vão comprar e armazenar este alimento que, de acordo com estudos realizados pelo Ministério da Saúde, é a principal fonte de doenças transmitidas por alimentos no país. O maior vilão da contaminação é a bactéria Salmonella, sendo registrada como causa de 40% das intoxicações alimentares no Brasil.

Aqui vão algumas dicas importantes e esclarecimenti de algumas dúvidas:

1. No momento da escolha, é importante verificar se há um selo de inspeção oficial, além de dados como nome e CNPJ do produtor observando, logo em seguida, se a casca está quebrada ou trincada;

2. Quanto ao armazenamento, é muito importante retirar da embalagem, pois se for guardado com a mesma, haverá grande chance de ocorrer contaminações. Prefira guarda-los em um recipiente limpo e local refrigerado. A Salmonella é uma bactéria que se reproduz em temperatura ambiente. Por isso, os ovos devem ser guardados na geladeira, evitando colocá-los na porta, pois é necessário estar sob temperatura constante. Como abrimos e fechamos a geladeira muitas vezes ao dia, as prateleiras internas se tornam mais adequadas;

3. A casca do ovo possui microporos. Se o mesmo for lavado antes da sua utilização, esta água poderá penetrar e propiciar um processo de decomposição, podendo causar uma intoxicação alimentar após a ingestão do alimento. Por isso, lave-os somente quando for utilizá-los com o intuito de retirar excessos de sujeiras;

4. Os ovos devem ser muito bem cozidos, para evitar danos à saúde no indivíduo, sendo preferível o cozimento médio de sete minutos. Temperaturas acima de 70ºC matarão as bactérias nocivas e, como este é um produto perecível, após o preparo deve ser conservado em embalagem fechada e sob refrigeração;

5. Gemas e claras duram dois dias na geladeira porém, quando separadas, a clara pode durar até uma semana;

6. O ovo fresco terá a casca porosa e seca. Se estiver velho, a casca estará lisa, fina, brilhante e com linhas acinzentadas. Outra forma de descobrir se o ovo ainda pode ser consumido é colocando o mesmo em uma vasilha com água: se flutuar, está velho, se afundar, está fresco;


É muito importante ter


acesso a alimentos de qualidade, sabendo diferenciar daqueles que podem trazer qualquer tipo de dano à sua saúde, sempre respeitando o tempo e a forma de armazenamento, garantindo assim a segurança alimentar.  

terça-feira, 17 de maio de 2016

Boa Crise para Você!


Estamos passando por uma crise.

Melhor dizendo, estamos passando por MAIS UMA crise.

Brasileiro que é brasileiro mesmo sabe que vivemos em um país dado a este tipo de coisa. Atitudes estabanadas, populistas e irresponsáveis nos arrastaram para buracos sempre profundos e bizarros ao longo da história. Sem entrar em preferências políticas ou ideológicas, vamos focar, exclusivamente, no fato de que estamos passando por um momento muito difícil do ponto de vista econômico e social.

Como eu sou um cara chato e gosto de ficar futucando as coisas, fui no Google e coloquei "significado da palavra crise". É. Fui no Google mesmo. Praticidade, galera, só pra tentar embasar umas idéias. Olha o que eu encontrei:

Crise1
substantivo feminino

1. med o momento que define a evolução de uma doença (para melhor ou pior).
2. med dor paroxística, com distúrbio funcional em um órgão.
3. estado de súbito desequilíbrio ou desajuste nervoso, emocional. "crise de nervos"
4. eventual manifestação repentina de um sentimento, agradável ou desagradável. "crise de amabilidade, de ciúme"
5. estado de incerteza, vacilação ou declínio. "crise de fé"
6. episódio desgastante, complicado; situação de tensão, disputa, conflito. "na crise albanesa, caiu o governo maoísta"
7. situação de falta, escassez, carência. "crise de matéria-prima"
8. econ grave desequilíbrio conjuntural entre a produção e o consumo, acarretando aviltamento dos preços e/ou da moeda, onda de falências, desemprego etc.
econ fase de transição entre um surto de prosperidade e outro de depressão, ou vice-versa.

Origem

ETIMOLOGIA latim crĭsis,is 'momento de mudança súbita, crise (med)', do grego krísis,eōs 'ação ou faculdade de distinguir, decisão, momento difícil'

Confesso que fiquei feliz. Sou daquelas pessoas tão bobas que costumam ver o copo meio-cheio. Observem a definição 1. Ela é um termo médico para evolução de uma doença para pior OU PARA MELHOR! Veja que interessante! Não é um termo necessariamente negativo.

A número 5 mostra um momento de indefiniçao e dúvida. Tipo quando você não sabe mais se aquelas suas convicções são tão sólidas assim.

A definição número 8 é em termos de economia e descreve bem o que vivemos agora mas, olhando lá no finalzinho dela, você pode ler "transição entre um surto de prosperidade e outro de depressão, ou vice-versa". Percebeu o "vice-versa"?! Se ligue nisso.

Eu sei que as outras definições são negativas e, por isso mesmo, não são úteis para nossa reflexão atual. Deixa essas "mizéra" lá mesmo.

Lá no fim do bloco de texto, vem a etimologia, ou seja, a origem do termo. No latim, fala-se em "mudança súbita" e no grego em "ação ou faculdade de distinguir, decisão, momento difícil". Fique atento a tudo isso.

Meu pai sempre me ensinou que o melhor vem dos maiores esforços, ou seja, o melhor costuma ser o mais difícil. Se queremos crescer e nos desenvolver, enquanto nação, é comum passarmos por crises. As maiores nações do mundo não tiveram histórias diferentes. Seus passados são coalhados de guerras, desastres naturais e momentos econômicos difíceis. Muitas delas alcançaram estágios de desenvolvimento muito elevados justamente por saberem aproveitar isso para crescer mais ainda.

Mas vamos pro nosso foco. Nosso foco somos nós enquanto indivíduos. Minha proposta, aqui, não é escrever sobre política ou história. Este blog é sobre gente e sua saúde. Então vamos nessa. O QUE VOCÊ TEM A VER COM TUDO ISSO?

Estamos todos no meio da crise. Alguns passam mais tranquilos, outros, nem tanto. Muita gente está se vendo em um momento "divisor de águas" ou, também, um momento como "nunca havia passado antes". Eu nunca vi, em mais de 20 anos de trabalho, um momento como este que estamos passando. Vejo muita gente, todos os dias, reclamando das mais variadas formas e com toda a razão. Pronto. Este parágrafo foi uma simples constatação do óbvio.

Agora chegamos na parte que eu queria. Lembra da definição 1, da 8 e da etimologia? Todas elas falavam em momento de mudança. A 5 falava em dúvida e incerteza. Na etimologia também se falou em decisão e momento difícil. Vamos nessa. Crise vai ser visto por nós, então, como um MOMENTO DIFÍCIL ONDE DEVEMOS TOMAR DECISÕES PARA PASSAR DE UMA SITUAÇÃO RUIM PARA UMA MELHOR!

Pense assim. AGORA é a hora de arregaçar as mangas e colocar em PRÁTICA tudo que você puder para MELHORAR sua vida e a de sua família. É a hora de investigar o horizonte em busca de NOVAS OPORTUNIDADES ou de executar aquele PLANO B que você sempre pensou mas nunca teve tempo de fazer. É momento de romper barreiras e limitações. Se as possibilidades estão fora da sua área de atuação profissional, fora da sua zona de conforto, VAI LÁ FORA ENTÃO! Sua mãe reclamava que você só queria ficar brincando lá fora, quando era pequeno(a), e agora você só quer ficar aqui dentro?!

Não é tempo para lamento. Tudo bem parar um pouco para OBSERVAR e tomar um ar mas, logo depois, ESTUDAR O TERRENO e se LANÇAR AO COMBATE! Cada minuto que você luta é um minuto a menos no tempo necessário para ALCANÇAR SEU OBJETIVO.

Abra os olhos, ABRA sua MENTE; CONVERSE com as pessoas; não tenha vergonha de se mostrar fragilizado(a) ou indeciso(a); procure ALIADOS; afaste-se do que te atrasa; foque na META. Procure profissionais que te ajudem. Faça terapia. Faça COACHING.

FAÇA!

Não fique aí mofando e triste.

PENSE FORA DA CAIXA!

LUTE por sua FELICIDADE!

BOA CRISE PRA VOCÊ
!

terça-feira, 5 de abril de 2016

Mais um ponto para a carne!

Tô feliz!

Sério! Tô bem feliz com uma notícia que li por 2 motivos. Primeiro, porque fala bem do consumo de carnes e, em segundo lugar, porque cita uma vitamina maravilhosa que eu aprendi, com o Prof Henry Okigami, a amar muito. A vitamina B3.

E o que é que tem o consumo de carnes? Eu sou um grande defensor da natureza eminentemente carnívora do ser humano. De acordo com o que venho estudando, ao longo dos anos, só vejo 2 possibilidades absolutas para contra-indicar as carnes vermelhas (fora condições patológicas bem específicas), por exemplo: câncer em curso (pelo alto teor de metionina) ou mau-preparo, com exposição excessiva da carne ao calor e consequente caramelização e formação de substâncias cancerígenas (veja mais AQUI). Por todos os benefícios que vejo no consumo das carnes, fico feliz quando vejo alguma matéria saindo um pouco da idéia fixa (e incorreta) de que carne "faz mal" ou de que o vegetarianismo seja a maneira mais saudável de um ser humano viver (definitivamente, não é).

E a tal da B3?

Vamos a ela. A vitamina B3, que você pode encontrar com os nomes de niacina, nicotinamida, niacinamida, ácido nicotínico, hexoniacinato de inositol, vitamina PP... e por aí vai. Esta vitamina, do famoso Complexo B, foi a terceira a ser descoberta (por isso, B3) e recebeu também a denominação de PP por ser uma "Prevenção à Pelagra". A pelagra é uma doença que foi descrita oficialmente, pela primeira vez, em 1735, pelo médico Gaspar Casal, da Espanha, logo depois que o milho foi introduzido na europa (observe como tem pouco tempo que o milho foi introduzido na alimentação dos povos europeus e como isto trouxe, inclusive, uma nova doença). Ela causa lesões de pele, diarréia e lesões neurológicas que podem levar à demência. Após 1900, surgiu de forma importante nos EUA, principalmente no sul, seguindo uma nova forma de refino de farinhas de grãos que retirava (e ainda retira) a maioria das vitaminas e minerais das matérias primas (olha os grãos refinados aí). O primeiro cientista a isolar a niacina (B3) foi Casimir Funk, em 1912. Goldberger, em 1915, foi a primeira pessoa a perceber que um elemento presente em carnes e vísceras (que ele batizou de P-P, como em Pellagra-Preventive) curava os casos de pelagra.

Beleza. Agora chega de história. A matéria falava que a vitamina B3 "pode" ter um potencial antioxidante. Vamos à correção? A vitamina B3 TEM ENORME POTENCIAL ANTIOXIDANTE. Na verdade, não ela em si, mas uma substância fundamental no nosso organismo que é sintetizada a partir dela. Esta substância é o NAD (Nicotinamida Amina Dinucleotídeo). O NAD faz parte do nosso metabolismo celular e participa de diversos momentos dos ciclos energéticos celulares estando em sua forma oxidada (NAD) ou em sua forma reduzida (NADH). Na forma de NADH, é um antioxidante por excelência e é responsável pela renovação das principais enzimas antioxidantes do nosso organismo, para que possam continuar protegendo nossos tecidos do excesso de radicais livres. Em resumo, o NADH, que tem a B3 na sua composição, é O antioxidante por excelência, fundamental para a manutenção do nosso sistema endógeno de controle de radicais livres.

Além da importância antioxidante, O NAD ainda participa, principalmente, da cadeia respiratória, onde é produzido o ATP, molécula energética fundamental no nosso organismo. A vitamina B3 ainda ajuda a reduzir triglicerídios e LDL, aumentar HDL, reduzir lipoproteína A, tem efeito antiinflamatório em macrófagos, adipócitos e no endotélio vascular.

Ela é ou não é fantástica?!

Pronto. Já me alonguei no assunto e sei que este post talvez tenha ficado meio chato para quem não é
profissional da área, mas espero ter trazido informações valiosas e interessantes para alguns. Tomara que, além disso, eu tenha trazido mais um motivo forte para que você consuma carnes e, quando de boa procedência, vísceras. Estas são as melhores fontes de vitamina B3. Não é que você vá comer montes e montes de carnes e vísceras, mas é importante ter estes elementos em nossa alimentação e lembrar que, pelo menos no que diz respeito à alimentação humana realmente natural, somos basicamente carnívoros que partiram a onívoros por opções.

Saúde e Paz a todos!

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Álcool pode fazer bem?


O uso de bebidas alcoólicas acompanha a humanidade há muito tempo. Da função religiosa até a puramente recreativa, esta prática está distribuída pela maioria das culturas, das mais variadas formas. Apesar da grande difusão, os malefícios do uso exagerado do álcool, por seres humanos, são bem conhecidos, mas será que há algum benefício em alguma dose?

Muitos estudos observacionais têm demonstrado que o uso moderado de bebidas alcoólicas (até 1 dose diária – aproximadamente 25g de álcool) está associado a redução da mortalidade por doenças cardiovasculares ou outras causas. Foi observada, também, uma relação importante entre o consumo moderado de álcool e a prevenção do diabetes melitus tipo 2, das demências e da perda de densidade mineral óssea.
Parte destes benefícios pode ser explicada pelo fato do consumo moderado de álcool elevar HDL e apolipoproteína A1, promover uma redução de PCR  e ter efeito antiagregante plaquetário.

Apesar disso, outros trabalhos mostram o aumento do risco de câncer de mama em mulheres que consomem álcool regularmente, mesmo em volumes moderados. É sabido, também, que o excesso do consumo de álcool aumenta os riscos de hipertensão, infarto, morte súbita, câncer, cirrose, pancreatite, entre outros problemas graves. O consumo do álcool também limita os reflexos e pode promover alterações cognitivas temporárias, tornando lógica a indicação de não dirigir ou manejar máquinas pesadas sob uso do mesmo.

Mesmo havendo benefícios do uso moderado, não se recomenda o uso de álcool por crianças e adolescentes, gestantes, pessoas com histórico pessoal ou familiar de alcoolismo, pessoas com doenças crônicas hepáticas, mulheres com histórico pessoal ou familiar de câncer de mama e indivíduos em uso de medicações que apresentam reações se associadas ao álcool.

Em resumo, é preciso ter moderação e ponderar bem os prós e contras em qualquer atitude que venha a se tomar na vida. O uso ou não de bebidas alcoólicas faz parte disso. Pensando fora de aspectos culturais e/ou religiosos, os estudos avaliados demonstraram que o uso moderado (que talvez não seja o mais comum na nossa sociedade) pode, sim, trazer benefícios, muito além de, simplesmente, “não fazer mal”. A divulgação destas informações e educação da população é fundamental para que o uso das bebidas alcoólicas deixe de ser um problema no sentido de gerar doenças e acidentes e (por que não?) trazer benefícios às pessoas.
 

terça-feira, 15 de março de 2016

Quem não se comunica, se ESTRUMBICA OU Não tire conclusões precipitadas

- Doutor! Pelo amor de Deus, me ajude! Eu senti uma dor de cabeça, logo no segundo dia do tratamento e suspendi TODOS os REMÉDIOS que você me passou. Parei também aquela dieta que me orientou porque fiquei achando que tava sobrecarregando meu fígado. E agora doutor? - isso se passa durante a revisão, uns 30 dias após a consulta. Gera uma pergunta automática:

- E por que não entrou logo em contato comigo?

As respostas, a essa pergunta, variam um bocado:

- Porque não queria incomodar. OU
- Porque eu estava viajando. OU
- Porque ninguém consegue falar com o senhor, Dr. (esquecendo de e-mail, whatsapp e afins). OU
- Porque o vizinho da cunhada de minha tia de segundo grau, no Acre, que se formou em Medicina há 2 meses, disse que era isso mesmo e que eu devia parar.

...

Vamos lá, pessoal. Vamos dar uma analisada em tudo isso.

É muito comum e, evidentemente lógico, que se desconfie de uma nova conduta adotada, seja ela medicamentosa ou dietética, quando surge um novo sinal ou sintoma logo depois do início do uso. Ninguém vai discordar disso. É um raciocínio simples. Se antes de usar o elemento X eu não sentia nada logicamente, se passei a sentir um sintoma depois que comecei a usar o tal X, ele deve ter alguma coisa a ver com isso. Beleza.

O problema não é o raciocínio, mas a conclusão. É importante perceber que esta relação não é, COM CERTEZA, verdadeira. Ela PODE SER verdadeira. Sabe com quem você deve checar isso? Com quem PRESCREVEU. O correto, quando acontecer algo assim, é entrar em contato com quem fez a prescrição, explicar o que ocorreu e solicitar orientações. Muitas vezes trata-se de uma coincidência ou de um sintoma transitório previsto, sem nenhuma gravidade. Outras vezes, demanda alterações na conduta que o profissional já conhece e sabe que podem ocorrer. Por isso, não vale a pena tentar desvendar os possíveis problemas na prescrição de um profissional utilizando a avaliação de outro profissional. A prescrição é um ato particular e resultante de um raciocínio que aquele profissional desenvolveu na hora em que você informou tudo a ele. Outro colega, que venha a avaliar aquilo, não necessariamente desenvolverá a mesma linha de raciocínio e, portanto, pode chegar a conclusões diferentes tanto sobre o quadro quanto sobre o tratamento. Isso acontece.

O risco de fazer estes "intercâmbios" é o de ficar sem definições claras sobre seu quadro e o tratamento adequado. Os pacientes que costumam fazer isso, não raro, se tornam extremamente desconfiados de todos os profissionais e começam a, perigosamente, tentar "se tratar sozinhos". Acredite. Por pior que esteja a situação da nossa saúde e dos nossos profissionais (concordo que as coisas estão bem complicadas), ainda vale mais a pena elencar aqueles profissionais nos quais você vai confiar e trabalhar junto com eles.

Eu digo trabalhar junto porque a assistência à saúde deve ser um trabalho de parceria entre o profissional e o paciente. Ambos devem colaborar para que tudo ande bem. Um deve informar claramente e seguir as orientações enquanto o outro deve ouvir atentamente e ter a carga de informações adequada para cuidar do quadro (ou estudar mais ainda para alcançá-la). vale o paciente procurar informações na Internet ou em outras fontes? Claro que vale! Isso demonstra cuidado consigo e vontade de melhorar. O que não vale é tirar conclusões em cima destas informações.

O que quero dizer é o seguinte. Quando você encontrar dados novos, discrepâncias ou qualquer outra coisa sobre seu quadro ou seu tratamento, não conclua NADA ainda. Pegue estas informações e leve para o conhecimento do profissional que está cuidando de você. Ele vai avaliar tudo junto contigo (se não fizer isso ou for um bossal que não aceita nenhum tipo de questionamento, pense em trocar de profissional) e te explicar o que cabe ou não ao seu quadro. NUNCA se desespere com as informações supostamente negativas que possa encontrar. Lembre que notícia ruim se difunde mais facilmente do que notícia boa e, portanto, é mais fácil encontrar coisas ruins do que boas em mecanismos de busca.

Agora, mais uns detalhes:

1. Você não INCOMODA por entrar em contato com o profissional que cuida de você para informar coisas importantes. Isso faz parte do trabalho;
2. Um profissional de saúde liberal, hoje em dia, para se manter, precisa trabalhar bastante. É comum que ele tenha dificuldade para ter longas conversas telefônicas com você, mas também com os amigos, o cônjuge, os filhos, a mãe... Não se sinta o foco deste problema. Procure contactar via e-mail ou whatsapp que, com certeza, será mais fácil. Se não houver resposta, insista;
3. Não fique pegando opiniões aqui e ali sobre seu tratamento e seu estado de saúde. O você confia nos profissionais que cuidam de você ou não. Se não confia, troque. Simples assim;
4. Pelo meno no âmbito da Ortomolecular e, principalmente, no início dos tratamentos, utilizamos quase nada de REMÉDIOS propriamente ditos. O mais comum é utilizarmos SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS e readequação de HÁBITOS DE VIDA. Não tenha medo do que vai ser prescrito e tire todas as dúvidas que tiver COM QUEM PRESCREVE;
5. Só pra finalizar, você sabe o que é que realmente sobrecarrega seu fígado? ÁLCOOL, PARACETAMOL e EXCESSO DE AÇÚCARES. É bem verdade que o uso de algumas outras drogas, de forma regular, em doses específicas, também o faz, mas isso não acontece com suplementos nutricionais prescritos corretamente nem COM DIETA.

E agora, pra finalizar, compreenda que boa parte de tudo isso que falei aqui acima tem relação com uma única coisa: o auto-boicote e a fuga. Processos mentais circulares e contraproducentes. Quem tem dificuldade de seguir um tratamento, de qualquer natureza, muitas vezes recorre à desqualificação deste mesmo tratamento, dentro da própria mente e frente às pessoas próximas, apenas para fugir dele. É uma atitude que demonstra grande fragilidade, mas que todos nós já fizemos, pelo menos parecido, em algum momento das nossas vidas. Somos humanos e imperfeitos. De qualquer forma, lembre disso quando perceber que está "colocando dificuldades" no seu tratamento e pense como será mais interessante realizar as coisas antes de tentar fazer juizo sobre algo que você, provavelmente, não entende completamente.

Converse. Dialogue. Questione.

Quem não se comunica, se estrumbica.

sexta-feira, 4 de março de 2016

A Oportunidade do Trabalho em Equipe

Ontem eu dei uma entrevista para uma grande revista aqui da Bahia. Durante a conversa, surgiu a questão da multiplicidade de profissionais na área de saúde e dos conflitos entre eles. Já falei, aqui no blog, sobre abordagem multidisciplinar (veja AQUI), mas vejo que este assunto não se esgotou ainda. Na verdade, estamos bem longe disso.

A existência das diversas derivações de profissionais assistentes, na área de saúde, que surgiram, na verdade, conceitualmente, da Enfermagem (e não da Medicina, como muitos pensam), gera uma confusão na cabeça dos pacientes e dos próprios profissionais. Afinal, quando você tem uma dor nas costas, deve procurar um médico ortopedista, um clínico ou um fisioterapeuta? Não é raro encontrar pessoas com este tipo de questionamento. Dentro da própria área médica, fica aquela dúvida entre os pacientes: minha dor de cabeça deve me levar ao clínico ou ao neurologista?

Toda esta confusão é comum visto que muito da normatização das profissões, na área de saúde, veio sendo concretizada aos poucos, o que tornou os limites profissionais muito tênues, por algum tempo. O que quero conversar, hoje, parte daí. A normatização de cada função deve trazer mais clareza para o trabalho mas não deve, em nenhuma hipótese, afastar os profissionais entre si. Infelizmente, isso acontece DEMAIS.

Vemos, com muita frequência, conflitos entre profissionais pelo "território" terapêutico. São brigas intermináveis para ver quem pode mais, quem sabe mais e quem deveria, de fato, cuidar do paciente. Para esta última questão, minha resposta é simples: TODOS.

Como já comentei em outro post do blog (veja AQUI), precisamos acabar com a babaquice na área de saúde. A responsabilidade pelo benefício do paciente é de TODOS os profissionais que possam, de alguma maneira, contribuir para isso. Por que esta obrigação de uma "escalação" específica quando podemos, juntos, gerar MUITO mais benefícios para a saúde das pessoas? É apropriado, sem dúvida, que os conselhos profissionais se fortaleçam e que as regras que definem cada profissão se tornem cada vez mais claras, MAS NÃO PODEM SE TORNAR MUROS!

Defendo sempre a abordagem multiprofissional e um trabalho integrado entre estes profissionais que estejam cuidando de uma pessoa. Não um "balaio de profissionais", mas sim um conjunto integrado onde cada um opina sobre sua área, mas também ouve críticas e sugestões dos outros profissionais pois, afinal, TODOS PENSAM E ESTUDAM. Trabalhar em equipe, ouvindo a opinião dos outros e podendo debater e encontrar uma via ainda melhor para nossos pacientes é uma OPORTUNIDADE DE TRABALHO EM EQUIPE.

Portanto, se você é profissional de saúde de qualquer natureza, procure a união e harmonia com os
outros colegas pois o único que deve ser VERDADEIRAMENTE beneficiado, pelo nosso trabalho, é o PACIENTE.

Se você é paciente e for a um profissional que fica criticando os de outras áreas... pense.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Conheça os OMEGA-7!

Ao longo desta semana, o colega Dr Ícaro Alcântara publicou um post, no Facebook, sobre os omega-
7. Fiquei muito feliz em ver alguém levantando o assunto e resolvi escrever sobre ele.

Fui apresentado a esta classe de ácidos graxos há muitos anos, em uma aula sobre óleos ricos em mono e poli-insaturados. Quando a professora falou no óleo de macadâmia, lá estavam eles. Os OMEGA-7!

É no plural mesmo. Omega-7 não é o nome de uma substância. Da mesma forma que os omegas 3 (leia mais AQUI) e 6, omega-7 é uma classificação de ácidos graxos (moléculas de gordura). Estes ácidos graxos são, a grosso modo, cadeias de carbonos com características particulares. O que define a classificação é a posição, a partir do último carbono (posição OMEGA) e retrocedendo, em que fique a dupla ligação. No caso dos omega-7, esta dupla ligação fica no carbono 7. Sacou?

Este tipo de ácido graxo está presente em fontes animais e vegetais e tem propriedades regenerativas e anti-inflamatórias para a pele e mucosas, bem como atividade antioxidante. Podem ser utilizados em casos de xeroftalmia, síndrome de Sjögren, dermatite atópica, eczemas e/ou psoríase. Não são considerados essenciais porque o corpo consegue produzi-los. São ácidos graxos monoinsaturados, ou seja, só apresentam 1 ligação dupla, como a citada no parágrafo acima.

O mais importante omega-7 é o ácido palmitoleico, pois tem demonstrado funções anti-inflamatórias sistêmicas e de controle da resistência à insulina. Isso significa que pode ser útil no tratamento da síndrome plurimetabólica, na prevenção de doenças cardiovasculares e no tratamento do diabetes.

Como eu disse antes, o ácido palmitoleico, um omega-7, é produzido pelo corpo. Ele cumpre função como uma lipocina, que é um ácido-graxo com função hormonal no nosso organismo, participando da regulação do metabolismo do açúcar e de lipídios. Foi a primeira lipocina descoberta por pesquisadores em Harvard, em 2008.

Nem tudo são flores no caminho dos omega-7. Alguns estudos em humanos com suplementos de omega-7 demonstraram aumento dos triglicerídios e do IMC. Como nosso conhecimento real sobre esta classe de substâncias ainda é mínimo, não vale a pena se lançar ao uso de suplementos ainda. Melhor mesmo é utilizar o óleo de macadâmia se quiser aproveitar algum de seus benefícios. Os dermatológicos são claros e objetivos. Os metabólicos parecem promissores, mas ainda precisamos de mais pesquisas para definir seu uso como suplemento ou não.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Nenhuma morte por suplementos, minerais, aminoácidos ou produtos herbais

Quando recebi a indicação deste artigo, achei interessante comentar. Vivo a realidade dos suplementos nutricionais há mais de 20 anos e já vi muita briga e desentendimento sobre o tema. Fico feliz em ver estatísticas mostrando, mesmo em um mercado excessivamente aberto quanto o norte-americano, a ausência de mortes atribuídas ao uso de suplementos alimentares. Isso aumenta a sensação de segurança com nosso trabalho e ajuda a tirar algumas lendas da cabeça dos pacientes.

Eu continuo acreditando e pregando que os suplementos nutricionais devem ser prescritos por profissionais qualificados, sob avaliação criteriosa, paciente a paciente. Acredito, também, que a classificação dos produtos e a responsabilização profissional deva ser mais bem feita e precisa. Vejo como fundamental uma maior autonomia dos nutricionistas para prescrever suplementos nutricionais, inclusive. É urgente, também, acabar com essa "má vontade", de muitos profissionais e órgãos reguladores, em pesquisar mais o tema e definir as regras com mais precisão técnica. Vamos estudar mais, pessoal! Tudo isso precisa evoluir, mudar muito, e levantamentos como este nos ajudam a ter uma idéia do panorama geral.

Se não houveram mortes em um lugar onde qualquer um compra praticamente qualquer suplemento em um balcão, quanto mais em um mercado onde tenhamos prescritores responsáveis trabalhando. Este é o meu pensamento.

Também nos ajuda a trazer uma reflexão para muitos de vocês: parem de pensar que qualquer coisa que vocês sintam é CULPA do suplemento nutricional que estão tomando. É muito mais fácil o motivo estar em qualquer outra coisa corriqueira do seu dia do que no suplemento. Questione o profissional e cheguem a uma conclusão. Não interrompa seu tratamento sozinho e deixe para falar com o profissional só no mês posterior. Isso atrasa MUITO o tratamento.

Pronto. Aqui vai a tradução do que foi publicado no orthomolecular.org. O acesso ao arquivo integral, em inglês, está abaixo também.

Boa leitura!

Tradução livre do artigo original publicado AQUI
Link de inscrição gratuita do Orthomolecular - http://orthomolecular.org/subscribe.html
Link para os arquivos do Orthomolecular Medicine News Service - http://orthomolecular.org/resources/omns/index.shtml

Orthomolecular Medicine News Service, 12 de janeiro de 2016


Não há ausência de morte apenas pelo uso de vitaminas, há ausência de mortes pelo uso de qualquer suplemento alimentar. As informações mais recentes coletadas pelo U.S. National Poison Data System (Sistema Nacional de Dados sobre Venenos dos Estados Unidos), em 2014, e publicadas no jornal Clinical Toxicology, não mostram mortes pelo uso de suplementos alimentares.


NENHUMA MORTE POR MINERAIS


Houveram ZERO mortes por quaisquer suplementos minerais. Isso significa que não houveram fatalidades pelo uso de cálcio, zinco, prata coloidal, selênio, ferro ou suplementos multiminerais. Reportada na categoria "ELETRÓLITOS E MINERAIS" estava uma fatalidade pelo uso medicamentoso de "SÓDIO E SAIS DE SÓDIO" e outra por ferro não em suplementação, que foram claramente excluídas da categoria e SUPLEMENTOS.


NENHUMA MORTE POR QUALQUER OUTRO SUPLEMENTO NUTRICIONAL

Adicionalmente, não houver nenhuma morte pelo uso de aminoácidos ou qualquer produto herbal de ingrediente único. Isso significa nenhuma morte por cimicifuga, equinácea, ginkgo biloba, ginseng, kava-kava, Erva de São João, valeriana, ioimbina, medicamentos orientais, ayurvédicos ou outros herbais. Não houve nenhuma morte por creatina, spirulina, glucosamina, condroitina ou melatonin. Nenhuma morte por qualquer remédio homeopático.

MAS, QUANDO EM DÚVIDA, CULPE O SUPLEMENTO. QUALQUER SUPLEMENTO.

Houve uma morte atribuída a um "Multi-Herbal sem Ma Huang nem Citrus Aurantium". É interessante perceber que ele sabiam o que NÃO estava no produto mas não sabiam o que ESTAVA. Isso é um "ouvir falar", um boato, na melhor hipótese ou puro alarmismo, na pior. Houve uma morte relacionada a um "SUPLEMENTO NUTRICIONAL DESCONHECIDO OU AGENTE HOMEOPÁTICO". Este, novamente, mostra total ausência de certeza sobre o que realmente estava envolvido. Uma outra fatalidade estava relacionada a um "PRODUTO ENERGÉTICO: DESCONHECIDO". Pra começar, bebidas ou produtos energéticos não são exatamente suplementos nutricionais. Mais importante do que isso, como pode uma acusação se basear no desconhecido? Igualmente não-científicas são duas mortes associadas a "PRODUTO ENERGÓTICO: OUTRO". Que produtos são esses? Estas não são nada mais do que alegações vagas, sem substância. Estabelecer uma causalidade sem ao menos conhecer qual substância ou ingrediente acusar é infundado.


A VERDADE: NENHUM HOMEM, MULHER OU CRIANÇA MORREU POR USO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS. PONTO FINAL.

Se os suplementos nutricionais são tão perigosos quando a FDA, a midia ou como alguns médicos ainda alegam, então onde estão os corpos?


REFERÊNCIA:

Mowry JB, Spyker DA, Brooks DE et al. (2015) 2014 Annual Report of the American Association of Poison Control Centers' National Poison Data System (NPDS): 32nd Annual Report, Clinical Toxicology, 53:10, 962-1147, http://dx.doi.org/10.3109/15563650.2015.1102927 .
O artigo integral (original em inglês) está disponível para download em https://aapcc.s3.amazonaws.com/pdfs/annual_reports/2014_AAPCC_NPDS_Annual_Report.pdf ou http://www.aapcc.org/annual-reports/ .

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Uma "facilidade", vários riscos

Você já deve ter ouvido falar sobre as cirurgias de "redução de estômago", as cirurgias bariátricas e metabólicas. Se você luta contra a obesidade, talvez já tenha até mesmo pensado na possibilidade de submeter-se a este tipo de procedimento. Pode ser, até mesmo, que você seja uma pessoa que já fez isso e agora está passando por um processo de emagrecimento rápido e pensando nas cirurgias plásticas que fará.
Beleza.

Saiba que as técnicas envolvidas neste tipo de procedimento evoluíram muito nos últimos anos. A precisão e a segurança aumentaram muito e, quando INDICADA CORRETAMENTE, esse tipo de cirurgia pode trazer, de fato, inúmeros benefícios.

Recentemente, o Conselho Federal de Medicina (CFM) reduziu o Índice de Massa Corpórea (IMC) necessário para um paciente ser elegível para uma bariátrica. Isso amplia enormemente o grupo de pessoas que podem se beneficiar deste tipo de procedimento,,, ou não.

É importante salientar que não se trata de um procedimento cirúrgico simples e corriqueiro e que nenhuma cirurgia, absolutamente, é isenta de risco. Apenas por isso qualquer pessoa que pense em submeter-se deve pensar muito antes, participando de consultas, reuniões e debatendo o tema até sentir-se segura para tanto. Infelizmente, a ansiedade faz com que muitas pessoas se rendam a profissionais com menos escrúpulos e realizem as cirurgias muito rápida e irresponsavelmente, sem a devida conscientização e preparação. Aí já temos mais um risco.

Além do próprio risco operatório, precisamos considerar outra coisa. A digestão do paciente que se submeteu ao procedimento não é mais a mesma. Por algumas técnicas, o comportamento do estômago fica comprometido e, por outras, a capacidade absortiva do intestino fica limitada. Em qualquer uma das duas hipóteses, é necessário o cuidado constante de um nutricionista capacitado para definir um plano alimentar responsável e eficiente e um suplementação nutricional, que é fundamental e TEM QUE SER PERSONALIZADA. A falta deste cuidado pode gerar inúmeros problemas, relacionados à má digestão e absorção, variando da disbiose intestinal a problemas como enxaquecas e depressão.

Não quero que você pense, de maneira alguma, que estou me posicionando contra a realização das cirurgias. Apenas peço que avalie com carinho e cuidado a hipótese de se submeter a ela e alerte seus entes queridos para que pensem direito e procurem equipes profissionais altamente qualificadas, se pensam em passar por isso. Todo procedimento médico, CORRETAMENTE INDICADO, tende a ser benéfico.

O que eu realmente gostaria de ver é as pessoas só partindo para esta "solução" quando todas as outras tivessem falhado de fato, apresentando uma obesidade realmente importante e com verdadeira presença de comorbidades (outras doenças associadas).

Não vamos esquecer que, na verdade, engordamos por problemas em nossas MENTES e, pra isso, não tem cirurgia. A única solução é conscientização, buscar auxílio profissional e aplicar muito esforço. Mesmo quem faz a cirurgia precisa de tudo isso pra não voltar a engordar.

Pense nisso.

Laranja madura na beira da estrada...

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Ano Novo. Novo?

Ano Novo!

Ano Novo.

Ano Novo?

Como já citei anteriormente, é apenas uma convenção de alguns grupos humanos. Essa contagem de tempo, que nós brasileiros seguimos, não é absoluta nem tampouco unânime entre os povos. É a referência que resolvemos aceitar entre os povos do ocidente, seguida também por boa parte dos povos orientais,

Fico nessa chatice só por um motivo: não pense que nada vá mudar apenas pela "passagem do ano". O que realmente traz as mudanças são nossas atitudes. O elemento mágico que pode, de fato, mudar o rumo de TUDO, são nossas AÇÕES.

Por isso, convoco sempre a todos nós que SEJAMOS A MUDANÇA! Frases como esta estão sendo veiculadas por todos os lados e isso é ÓTIMO!

Vamos, juntos, assumir nosso papel de agentes transformadores e tornar este mundo e nossas vidas algo cada vez melhor e que honre, mais ainda, aquele que nos deu a oportunidade de viver.

Pense nos seus próximos dias, semana e meses. Faça aquela velha avaliação da sua vida e defina que rumos quer tomar. FOQUE e VÁ!

TRANSFORME-SE e transforme o UNIVERSO!