domingo, 4 de dezembro de 2011

Celulite: chegou no Fantástico!

Apareceu no Fantástico!

Celulite só resolve com exercícios físicos.

Tenho que concordar com isso 100%. Já tínhamos falado sobre este assunto no post CELULITEEEE!!!!!.

Não adianta tentar negar. Se você não está em dia com os exercícios físicos, não vai conseguir se livrar deste problema. Emagrecer ajuda a diminuir o tamanho do problema, mas só o ganho muscular localizado e equilibrado dá o verdadeiro aspecto saudável aos tecidos e leva ao que mais próximo podemos chegar de uma cura para o problema.

Muitos tratamentos localizados podem entrar na rotina de quem deseja livrar-se das celulites, mas nenhum deles resolve o problema sozinho. Gosto muito dos resultados da carboxiterapia, como vimos em Carboxiterapia: opção contra gordura localizada, flacidez, celulite e estrias, mas nem ela dá conta do recado sozinha.

Resolvi escrever este post apenas para dizer como fico feliz quando uma meio de comunicação de massa divulga algum dado realmente útil e verdadeiro sobre um tema em saúde e bem-estar. Precisamos de mais Olgas e Anas Valérias.

E vamos evoluindo.

sábado, 26 de novembro de 2011

ADIPOTIDE: revolução brasileira no exterior.

A história se repete. Grandes mentes brasileiras têm a oportunidade de mostrar sua genialidade e criar algo completamente novo no campo da ciência... fora do Brasil. É triste perceber que nossos pesquisadores, muitas vezes, só vão ter essas oportunidades em países estrangeiros, onde a educação e a pesquisa científica são verdadeiramente apoiadas e incentivadas. Ainda bem que nada disso diminui a genialidade do casal Wadih Arap e Renata Pasqualini.

Esta dupla de pesquisadores criou a inovadora droga ADIPOTIDE, que corta o suprimento sanguíneo para depósitos de gordura corporal e promete ser mais um grande aliado na luta contra a obesidade. Ainda em fase de testes, a nova droga ainda não está à venda (nem se animem) e ainda deve demorar um tempinho para termos acesso a seu uso. Esperamos que não demore muito.

Pois é. Genial com certeza. Estão de parabéns os pesquisadores. 100%!

Agora vamos voltar a conversa para nós mesmos.

Não podemos esquecer uma coisa: "vem fácil, vai fácil". Isso mesmo. Se depositarmos toda a responsabilidade do emagrecimento em um medicamento, que tipo de aprendizado e desenvolvimento nós teremos? É óbvio que a nova medicação irá salvar vidas, principalmente de pacientes com obesidade mórbida, e impedirá muitas pessoas de realizar as "milagrosas" cirurgias gastrintestinais com objetivos de emagrecimento. É evidente que a inovação será útil mas, como já disse anteriormente sobre outra medicação, deverá ser utilizada por QUEM PRECISA MESMO.

O processo de emagrecimento com esforço e trabalho, aliando controle alimentar, exercícios físicos e uma reabilitação psíquica é composto por um sem número de vivências que levam o paciente a uma grande crescimento pessoal. Quem possa emagrecer sem tanta pressa deve fazer disso uma oportunidade, um processo de aprendizado e ganho de autocontrole ímpar, cujos reflexos se farão evidentes em muitas outras áreas de sua vida. Ninguém engorda "de repente", sendo que o emagrecimento deve ser um processo com duração proporcional ao esforço que se aplique.

Alcançar um resultado com empenho e trabalho dá um sabor muito mais interessante ao mesmo. A sensação de vitória, de meta alcançada, vai tornar toda a vida do paciente mais plena de satisfação, e torná-lo uma pessoa mais segura de si, de suas capacidades.

O adipotide promete ser uma excelente arma para tratarmos os pacientes que dele precisem e me orgulha profundamente saber que os pesquisadores que o desenvolveram são brasileiros. Parabéns a eles! Só não vamos transformar, nós médicos que atendemos os pacientes diretamente, a sua fabulosa descoberta em um incentivo para a falta de empenho e para a idéia de que se pode simplesmente "comprar" um emagrecimento. Esta mentalidade fraturada e débil já se estende por um sem número de tratamentos, mesmo que não funcionem tão bem. Imaginemos o que pode acontecer se ela se apegar a um que realmente funciona!

Não incentivemos a irresponsabilidade daqueles que devemos orientar.

Viva o casal de pesquisadores brasileiros! Viva a responsabilidade!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

PELAMORDEDEUS, pare de se pesar!

O que mais observamos, quando alguém fala em boa forma e cuidar da saúde, é uma referência ao peso. Muito se discute em torno do conceito de peso ideal, normalmente fazendo referência à altura, como no cálculo do IMC.

É muito comum ver pessoas ficarem felizes pelo fato de terem perdido uma certa quantidade de quilos e há, inclusive, aqueles que se pesam diariamente, às vezes mais de uma vez por dia, com a idéia de manter um controle de peso.

Se você está se identificando com alguma dessas coisa que escrevi em cima, faça um favor a si mesmo(a): PARE AGORA! A maior "utilidade" para você ficar se pesando é se tornar ainda mais neurótico(a).

Isso mesmo. Se você ficar acompanhando seu peso simplesmente, não vai conseguir ter uma percepção correta da sua forma física. Estar em boa forma não significa, necessariamente, estar leve. Dê uma olhadinha no post Meu peso ideal... para ver mais sobre isso. Estar em boa forma implica em bom condicionamento muscular e distribuição de tecidos corporais.

O que importa mesmo não é o peso em si, mas como ele está distribuído. Fazendo uso simples da balança você não tem como perceber quanta gordura, massa muscular, água, ossos e tudo o mais você tem no corpo. Os percentuais de cada coisa dão verdadeiro significado ao seu peso, em termos do que o compõe, considerando que seu corpo é composto de vários tipos de tecidos repartidos em compartimentos, que têm importâncias diversas para sua saúde.

Te adianta ficar levinho(a) e pelancudo(a)? Magrinho(a) e barrigudo(a)? Vai ficar legal uma pilha de ossos com o couro por cima? Ou será que é melhor um corpo torneado por músculos bem trabalhados, sem exagero, e com A BARRIGA NO LUGAR?


Pois é. Ênfase na barriga porque é o principal parâmetro para você avaliar sua saúde em relação aos excessos de gordura. Quer acompanhar um número para se avaliar em termos de boa forma? Comece pela circunferência abdominal (na linha umbilical). É uma medida que nos dá, indiretamente, uma idéia de como está seu acúmulo de gordura visceral, a que realmente causa muitos danos à sua saúde, favorecendo o surgimento de diabetes, hipertensão e muitos outros males. O ideal é que fique em até, aproximadamente, 84cm para mulheres e 94cm para homens, mas esses valores variam com a estrutura corporal e não devem ser interpretados por você sozinho(a).

Para uma avaliação mais detalhada, não perca tempo. Procure profissional capacitado para isso. Nada como uma avaliação técnica para te deixar sabendo, com clareza, a quantas anda sua forma. Se puder passar por uma avaliação multidisciplinar, tanto melhor. Associe médico, nutricionista, fisioterapeuta e educador físico que fica perfeito.

Lembre sempre que um cara de 1,88m, com 118Kg, pode ser um obeso ou o tio Arnold, em sua melhor fase, quando fez Conan, o bárbaro! Tava gordo?

Pondere.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Suplementação substitui alimentação?

NÃO.

Definitivamente não.

É muito importante definir isso claramente em uma época onde, erroneamente, muitos pensam que as cápsulas e os pós de suplementos alimentares podem servir como substitutos da alimentação. Eles não servem.

Um suplemento é, tão somente, um SUPLEMENTO. Pode ser, até, elevado à classe de COMPLEMENTO, idéia compartilhada por diversos pesquisadores no mundo todo, considerando as condições de vida específicas de cada um, mas não são o alimento em si.

Pense sempre assim: em sendo suplemento, o que quer que você use vai estar ajudando a atender necessidades extra-normais como, por exemplo, atividade física moderada e intensa, combate aos efeitos de poluentes, excesso de radicais livres, doenças e tantos outros elementos agressores da sua saúde; em sendo complemento, o que você utilizar vai estar completando sua alimentação, ou seja, cobrindo alguma deficiência alimentar, como nos casos das anemias por falta de ferro, na reposição de cálcio para os ossos e tandos outros casos de desnutrição possíveis.

Estou escrevendo sobre isso, também, para esclarecer uma coisa muito importante: a Ortomolecular não preconiza a substituição da alimentação por qualquer tipo de suplemento alimentar. A idéia da Ortomolecular é, na verdade, de integração entre vários elementos para a boa saúde, e o mais básico e principal é, justamente, uma alimentação balanceada. Para alcançá-la, podemos utilizar diversos métodos, inclusive com uso de suplementos e complementos, mas precisamos dela como condição fundamental para ter boa saúde. O profissional nutricionista vem a ser peça importante neste momento.

A Ortomolecular não dispensa a alimentação balanceada assim como NÃO VAI, NECESSARIAMENTE, TE PEDIR PARA SUSPENDER AS MEDICAÇÕES QUE VOCÊ JÁ UTILIZA. O uso das medicações alopáticas, em muitos casos, é fundamental, e o médico que se dedica à Ortomolecular tem que fazer a associação inteligente entre a alopatia e os suplementos nutricionais, bem como outros métodos que possa vir a utilizar.

Em resumo, a conduta Ortomolecular não objetiva corromper as bases de tudo o que o paciente já faz ou conhece, mas sim reordenar seus hábitos para que o mesmo alcance um patamar mais elevado de qualidade de vida.

Busquemos o ponto de equilíbrio.

Busquemos uma conduta Ortomolecular em nossas vidas.

domingo, 23 de outubro de 2011

Carboxiterapia: opção contra gordura localizada, flacidez, celulite e estrias

Existem muitos métodos que se propõem a combater as queixas estéticas em consultório, mas nenhum deles é tão versátil e seguro quanto a carboxiterapia.

Este método, que começou a ser desenvolvido na França, na década de 30, evoluiu muito desde então e tem grande utilidade em diversas áreas da Medicina, inclusive no tratamento de feridas e males circulatórios. É metodologia aprovada amplamente na Europa, nos EUA e, também, aqui no Brasil. Tornou-se a terapêutica de escolha para tratamento contra celulite na Itália sendo, inclusive, importante terapêutica complementar pós-lipoaspiração, para garantir uniformidade dos tecidos.

Consiste na aplicação de anidro carbônico hospitalar, através de agulha fina, no tecido subcutâneo. Em português claro, é a injeção de gás carbônico purificado e filtrado (que não é tóxico para o organismo, da forma utilizada, e não causa embolias), utilizando uma agulha fininha, daquelas de aplicar insulina, até uma profundidade que não atinge nenhum órgão - fica entre as camadas da pele.

E daí?

Esta aplicação leva a uma grande oxigenação do tecido no local, acelerando a circulação sanguínea, levando a uma mobilização da gordura localizada e a uma maior e melhor formação e reorganização do colágeno. Estas vantagens todas guardam, ainda, mais um grande trunfo: não há efeitos colaterais além da dor local e de possíveis pequenos hematomas, que somem em alguns dias.

The latest challenge to cellulite
Exemplo esquemático de tecido antes e depois da carboxiterapia
Então quer dizer que este método é muito bom?

É!

Então vamos todos(as) aderir e começar a fazer já?

Mais uma vez eu digo:

- Calma lá!

Pra você fazer carboxiterapia e valer a pena, tem que pensar em um trabalho integrado com dieta, exercícios e acompanhamento profissional. Lembre que esta técnica não é uma lipoaspiração e, portanto, a gordura local pode voltar a se acumular se você não tomar cuidado. É importante, também, lembrar que as sessões precisam ser realizadas com uma periodicidade regular, para alcançar os melhores resultados. Dito isso, eu te peço: não falte às sessões. Seja assídua(o).

Saiba que o tratamento é tremendamente individualizado, dependendo de uma avaliação profissional competente, bem como de acompanhamento também eficiente. A quantidade de sessões que sua amiga fez não é, necessariamente, igual a que você fará. O mesmo pode ser dito sobre os pontos em que as aplicações serão realizadas. Cada paciente recebe o tratamento que lhe cabe. Os resultados são proporcionais às necessidades de cada um. É claro que, quem está em uma situação estética pior, vai "ver" muito mais resultados do que quem apenas quer aperfeiçoar o que já está bom.

Também quero deixar muito claro uma coisa: carboxiterapia NÃO É método de emagrecimento! A técnica serve para tirar gorduras localizadas, melhorar muito a flacidez corporal e facial, reduzir estrias e combater as celulites, mas não é indicada para realizar o emagrecimento em si. Por isso eu digo que devemos procurar um tratamento integrado. Associe dieta, exercícios e, a partir do momento certo, a carboxiterapia, e ficará tremendamente satisfeita(o). Se puder associar a drenagem linfática, melhor ainda.

Então, veja esse ping-pong sobre a Carboxiterapia:

Combate gordura localizada? SIM
Trata estrias? SIM
Combate celulite? SIM
Combate a flacidez da pele? SIM
Emagrece? NÃO
É segura? SIM
Tem efeitos colaterais importantes? NÃO
Dói? SIM
Vale a pena? SIM. MUITO!

Aproveite. Usada corretamente, a carboxiterapia te dará um corpo com menos gorduras localizadas, menos celulites, menos estrias e mais firmeza. Uma pele de aparência mais jovem e hidratada.

Cuide-se.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Chia: uma antiga novidade para emagrecer

Calma turma!

Chia Plant and SeedsNão é realmente uma novidade... pelo menos não no mundo todo.

A chia, ou Salvia hispanica, é uma planta natural da América Central e existem indícios de seu uso alimentar desde 3500 a.C. O nome chia deriva do termo em Nahuatl chian, que significa oleosa. Era utilizada, inclusive, como moeda entre os Astecas.

Sua redescoberta como um superalimento ocorreu entre 1991 e 1995, quando esforços de uma organização filantrópica norte-americana, junto a uma empresa agrícola argentina concretizaram um projeto de plantio através de inúmeros produtores rurais, com doação das sementes.

Sua composição nutricional, para uma porção de 28g, oferece 4g de proteína, 9g de gordura (57% ácido alfa-linolênico, um omega-3 vegetal) e 11g de fibras, além de magnésio, cálcio e fósforo comparáveis à quantidade presente na linhaça. Ou seja, o troço É, realmente, nutritivo.

Além do potencial nutricional, a semente tem uma propriedade interessante: quando entra em contato com a água, vai se formando uma gel de lenta digestão (absorve até 12 vezes o seu próprio peso em água), fazendo com que quem a tiver ingerido sinta-se saciado por muito mais tempo que o normal. Esta função pode ser útil em tratamentos contra a obesidade, por diminuir a ingestão de alimentos e facilitar a realização de dietas de redução calórica. Deve te ajudar, inclusive, a não ficar comendo um monte de porcarias fora de hora.

Sua riqueza em fibras ajuda o intestino a funcionar melhor, carregando também muito "lixo" na sua passagem pelo intestino, o que favorece a saúde deste órgão. Para as pessoas com prisão de ventre, esta pode ser a sua maior utilidade. Também não contém glúten e, segundo as referências que consegui checar, é quase sem sabor, o que favorece sua adição aos pratos sem grandes alterações de sabor.

OK.

Beleza.

Então vamos nos encher de chia e "secar"?

Pode ir parando. A coisa não é, necessariamente, assim. Em mais de 15 anos dedicado ao mercado de suplementos alimentares e alimentos funcionais, eu já vi diversas fibras com potencial de geral esse tipo de gel no trato gastrintestinal. Muitas delas funcionam e são usadas até hoje e nem por isso se tornaram unanimidades nos tratamentos contra obesidade. A chia pode ser útil para esta finalidade, eu acredito, mas seu uso DEVE SER ORIENTADO POR PROFISSIONAL NUTRICIONISTA se você quiser alcançar qualquer objetivo específico. Se quiser utilizá-la apenas como mais um alimento, há diversas receitas disponíveis na internet para você, mas não espere nada necessariamente diferente de qualquer outra semente.

Acredito que vale a pena utilizá-la pelo seu grande potencial nutricional, sendo aliada interessante na composição de uma alimentação saudável. É sempre bom lembrar que, quase invariavelmente, os costumes da antiguidade têm muita razão de ser, o que nos leva à obrigação, inclusive moral, de investigá-los.

Converse com seu(ua) nutricionista e veja qual a melhor forma de aproveitar este alimento.

E veja:

PARE DE PROCURAR O ALIMENTO MILAGROSO QUE VAI TE EMAGRECER! COMECE UM PROGRAMA INTEGRADO DE SAÚDE DE VIDA, COM ASSISTÊNCIA DE MÉDICO, NUTRICIONISTA, EDUCADOR FÍSICO, PSICÓLOGO e FISIOTERAPÊUTA! Só assim você vai alcançar resultados concretos, duradouros...

...dignos de um milagre.

Esforce-se.




segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Anticoncepcional engorda?

Vamos falar um pouco sobre isso agora, a pedido de uma querida e assídua leitora do nosso Blog que me mandou este questionamento.

É uma dúvida muito comum entre as pacientes e vamos tirá-la agora: o anticoncepcional, em si, não engorda.

Agora vêm todas as moças que "engordaram com os anticoncepcionais" revoltadas, querendo minha caveira e dizendo que eu estou errado. Infelizmente, isso só é motivado por uma coisa: culpa.

É mesmo. O grande problema que nós temos hoje é que a idéia da engorda com o uso das pílulas está muito sedimentada. Isso já faz parte do imaginário das pessoas. Está fixado em suas mentes. Por isso, quando começam a usá-las, muitas pacientes ganham uma tremenda justificativa para engordar e colocar a culpa em algo que não suas próprias atitudes. Não estou dizendo, de forma alguma, que sejam todas mentirosas, hipócritas ou que estejam fazendo isso propositalmente. É tudo sem intenção, motivado por uma idéia amplamente difundida na década de 60, quando os primeiros anticoncepcionais orais realmente causavam isso, e muito mais.

As dosagens hormonais das pílulas atuais não levam a isso e garanto que, mesmo as mais novas pílulas, podem causar coisas muito piores que o ganho de peso, mas isso é assunto pra outro post.

O ganho de peso pode até acontecer, em uma ou outra paciente, com uma ou outra pílula anticoncepcional, mas isso se deve à retenção de líquidos, e não ao ganho de gordura. Vamos lembrar, sempre, que ganho de peso NÃO É engordar. Engordar é aumento da massa gorda do corpo, como vimos no post Meu peso ideal é X quilos: taxativamente.

É isso aí. O fato de ficar mais pesada não faz com que você esteja mais gorda. Músculo pesa, e muito. Água também. Sendo assim, tanto o ganho de massa muscular quanto a retenção de líquidos te deixam mais pesada, mas não mais gorda. Não se preocupe tanto com a balança e dê mais atenção a suas medidas, principalmente a circunferência do abdome.

Voltando à questão da pílula, podemos considerar que seu uso pode te trazer alguns efeitos colaterais meio chatos, o que pode levar a mulher a descontar na comida e engordar. Mesmo assim, temos que perceber que não foi o uso da pílula que a fez engordar, mas sim a atitude de compensação que ela adotou. É uma simples questão de troca do tipo de pílula ou, às vezes, uso de outro método contraceptivo.

Em resumo, o uso da pílula não leva, diretamente, a engordar. É importante perceber a tentativa de culpar algo fora de si mesma(o) pelo fato de ganhar gordura. Pense nisso e vá logo parando. É fundamental que você assuma uma postura protagonista diante da questão da manutenção de uma forma física saudável e aceite, de uma vez por todas, que a(o) grande culpada(o) por você estar como está, bem ou mal, é você mesma(o). Vista a camisa e corra atrás do que deseja pra você. Só suas atitudes podem te levar a uma vida com mais saúde e felicidade.

Responsabilize-se por si mesma(o).

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Steve Jobs: morre mais um gênio. Genialize você agora.

Eu sei que nosso blog é sobre saúde, mas não tenho como não expressar meu pesar por esta perda: Steve Jobs morreu.

O rústico Apple I.O cara era, literalmente, um gênio. Eu não estou falando especificamente em termos de QI ou conhecimentos acadêmicos mas, sim e principalmente, em termos de visão. Ele fundou a Apple, junto com Steve Wozniak, a partir de um dormitório de faculdade em 1974, lançando o Apple I (bem diferente dos iMacs e MacBooks de hoje, não?) Não sei se ele imaginava aonde isso os ia levar, mas sei que levou muito, mas MUITO longe mesmo!

Perfeccionista, turrão, personalista... um ser humano com seus defeitos, sem dúvida, mas gênio. Diversas tendências existentes hoje no mundo da tecnologia partiram de iniciativas dele, que passou por inúmeros altos e baixos em sua carreira. Foi-se, agora, deixando como legado a real popularização das telas touchscreen em celulares, a atenção verdadeira com o design de micros e gadgets e a realidade das appstores.

Pronto. Apologia feita, quero que você saiba uma coisa: você também pode ser genial.

É sério. Não precisa nascer gênio para ser genial. A manifestação da genialidade está muito mais relacionada com a presença de espírito, com o foco da consciência nas coisas que se faz. O gênio é o que propõe a ferramenta mais adequada para solucionar o problema comum a todos antes mesmo que os outros a percebam, ou mesmo notem o próprio problema em si. O gênio antecipa.

É por isso que eu dou um valor inestimável à genialidade do Sr. Jobs em termos da sua capacidade de enxergar além. Da sua prontidão que o levou, inúmeras vezes, a transformar pequenos e tímidos projetos em iniciativas de alcance global; a definir tendências.

Para você desenvolver essa capacidade de antecipação é necessário ativar da melhor forma possível uma coisa: sua atenção. Leia, assista, debata, escreva, produza. Esteja atento(a) a tudo. Comece pelo seu redor e cotidiano e avance. Extrapole pelo ambiente de trabalho, tentando compreender mais etapas do processo produtivo do qual faz parte. Não se restrinja à sua parte. NÃO SE RESTRINJA, de nenhuma maneira. Lembre-se: a vida já nos impõe diversos limites, sendo que não precisamos aumentá-los. Expanda sua mente, sua visão e sua vontade. Se lance à percepção do todo, sem perder as partes e, num dado momento, a genialidade aflora. Firme sua vontade, aceite sua intuição e foque sua mente que os limites vão se desfazendo, pouco a pouco.

Isso pode não te tornar um Steve Jobs, mas pode te proporcionar diversos momentos Jobs, onde sua percepção vai além e te coloca em vantagem diante de seus pares.

Use a vantagem em prol da maioria das pessoas.

Genialize.

P.S.: Vai lá, Steve. Vai genializar em outras paragens. Se não fosse por você, a Samsung nunca desenvolveria o Galaxy S II para brigar com o IPhone 4 (não resisti!). Muito obrigados por suas idéias.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Se prepare pro verão... LOGO!

Verão só lá em dezembro, né?

Ainda faltam muitos dias, não é mesmo?

Quando chegar perto, você entra na academia, começa uma super-dieta, usa uns suplementos e PRONTO! Tá no shape!

É assim que você pensa?

Se sim, pode parar. Se você quer estar bem na praia no verão tem que começar a se cuidar AGORA (na verdade, era melhora que já tivesse começado até). As mudanças de hábitos que você precisa implementar, se já não o fez, levam tempo para "pegar" e, mais ainda, para mostrar os verdadeiros resultados.

Veja o emagrecimento, por exemplo. Se você quer perder gordura mantendo a saúde, não deve perder mais do que 1 a 1,5Kg por semana. Faça suas contas com o tempo que falta pra enfrentar o sol e você vai ver se tá cedo ou tarde.

Além disso, você tem que considerar uma coisa: perder gordura sem ganhar massa muscular equilibradamente não vai te garantir nenhum corpo bonito. A não ser que você ache uma tábua linda, Ou uma vara de catar caju... Tem que aliar algum trabalho muscular no seu treinamento e os resultados desse tipo de trabalho, de verdade, começam a vir depois de umas 8 semanas. São 2 meses! Será que você ainda acha que tá cedo?

Quer ficar bem na areia? Então comece logo a fazer uma avaliação médica, uma reeducação alimentar e um treinamento personalizado com profissional educador físico. Pense assim: você já está atrasado(a)!

Aproveite e faça uma coisa: mantenha isso pelo resto do ano. O melhor programa de emergência para emagrecer é aquele que você não precisa fazer, pois já está se cuidando.

Sustente o esforço, pois os resultados compensam.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Regiane Alves - menos carbos, mais proteína e musculação.


Tá feia a moça aí do lado?

O que você acha?

Sabe o que ela fez pra ficar assim?

Adivinha?

Reduziu bastante o consumo de carboidratos, aumentou o de proteínas e iniciou um treino intenso de musculação. Isso mesmo. Foi assim que ela fez. Detalhe: ELA SÓ PERDEU 1KG! Viu que esse lance de peso não importa tanto? Depois dê uma olhada em "Meu peso ideal é X quilos." - taxativamente.

Cada vez mais se consolida essa metodologia, pelo menos por algum tempo, para quem quer esculpir o corpo reduzindo gordura, ganhando massa muscular e ficando mais saudável. Partimos do princípio de que os carboidratos, como combustíveis para o corpo de fácil utilização, precisam ser ingeridos em menor quantidade e de forma mais qualificada por quem quer reduzir gordura. Sabe o porquê? É porque quem repõe a maior parte daquela sua gordurinha, que você tanto tenta eliminar, é o excesso de carboidratos simples que você consome, e não a gordura da sua alimentação. Os culpados são o açúcar de mesa, as massas brancas e, por que não dizer também, os excessos de lactose e frutose (ênfase em EXCESSOS).

O aumento da proteína na alimentação, além de aumentar e prolongar a saciedade, não funciona como fonte de energia tão facilitada como os carboidratos, cumprindo muitas outras funções estruturais e funcionais no organismo e suprindo-o dos aminoácidos necessários para o desenvolvimento adequado da massa muscular.

A musculação entra para servir como exercício físico que, adequadamente executado, além de levar a um consumo calórico excelente, mantém um grande gasto basal durante todo o tempo de recuperação do músculo. Sabia que um músculo pequeno, como seu bíceps, levam de 24 a 48 horas em recuperação? E que um grande, como o quadríceps, leva até 72 horas?! É isso! Repouso da musculação também ajuda a emagrecer!

Tudo isso, certamente, deve ser acompanhado pelos profissionais qualificados para cada parte do trabalho. Cabem aí o médico, o nutricionista, o educador físico e todos os outros profissionais que sejam necessários para qualificar este programa. É importante salientar que qualquer programa que envolva alterações nutricionais e de hábitos de vida tem fases que devem ser cumpridas e que variam de pessoa a pessoa. Também por isso é fundamental a atenção profissional, me levando a te dizer uma coisinha:

NÃO ADIANTA FICAR TENTANDO FAZER ISSO SOZINHA(O) E NEM INTERROMPER O PROGRAMA A QUE SE DEDICAR NO MEIO. TODO PROGRAMA DE TRATAMENTO TEM INÍCIO, MEIO E FIM. Só assim você vai alcançar o sucesso.

É assim que a gente cuida de vocês.

Comece quando puder continuar e lembre que você só poderá continuar se realmente quiser concluir.


Venha, veja e vença!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Não "defume" sua pele

Que o hábito de fumar é nocivo à saúde todo mundo já sabe. Quando pensamos no fumo lembramos, quase que automaticamente, do câncer de pulmão e dos infartos. Tais problemas são muito sérios e motivadores que deveriam ser suficientes para nos afastar deste hábito.

Acontece que temos mais um argumento, nada letal, mas de importância para a qualidade de vida e o bem estar, para de fazer pensar duas vezes antes de aderir ou manter o tabagismo: PELE DEFUMADA TEM MAIS RUGAS.

É isso mesmo. Se você quer ter uma pele com mais rugas, mais cinzenta e menos hidratada, continue fumando.

Um estudo realizado na Santa Casa de São Paulo verificou que fumantes têm rugas até 3 vezes mais pronunciadas que não fumantes. A pele do tabagista apresenta inúmeras rugas, vincos e linhas a mais que seus pares não-adictos e tende a apresentar-se atrofiada, apresentando mais alterações do que as que ocorrem com excessiva exposição solar.

Ou seja, fumar faz mais mal à pele até do que ficar "fritando" no sol!

Fumar causa envelhecimento da pele
O hábito de fumar causa alterações nas fibras colágenas e elásticas da pele, de dentro pra fora, levando a perda da sustentação e da elasticidade, resultando em um aspecto muito mais envelhecido. As alterações na pele são tão marcantes que avalia-se a possibilidade de servirem como marcadores clínicos para o desenvolvimento de um futuro enfisema!

Se você não fuma, continue assim. Se você é adepto do tabagismo, temos aqui mais um argumento para que você reflita sobre isso. Hoje em dia, a campanha anti-tabagismo cresce muito em diversos lugares do mundo. Eu não concordo com nenhuma "caça às bruxas", como tem ocorrido, pois acredito que cada pessoa deve ter o direito de colocar-se sob os riscos que achar melhor, desde que assuma as consequências individuais disso. Por isso, também, concordo com as iniciativas de separar fumantes de não-fumantes de forma eficiente, para que seja garantido o direito de não se expor a esses riscos a quem assim preferir. Eu mesmo não fumo e não vou iniciar este hábito nunca. Não acredito que valha a pena.

É sempre bom lembrar que o vício do cigarro é difícil de abandonar e que um auxílio profissional é sempre muito bem vindo. Se você tem medo, inclusive, de engordar depois de parar de fumar, procure logo auxílio para se preparar. Psicoterapia e atividades físicas orientadas são tremendamente úteis e a ortomolecular também traz muitas opções para auxiliar neste processo, principalmente no que diz respeito à recuperação do organismo depois de deixar este hábito.

Muitos extratos vegetais concentrados têm se mostrado úteis na recuperação da pele que sofreu a agressão do hábito de fumar. Dos extratos de uva ao de romã, muitas opções existem para realizar este serviço. Compostos com silício orgânico e proteínas marinhas também se mostram úteis. Procure seu médico para maiores esclarecimentos e para que ele possa prescrever o que você realmente precisa.

Conheça os fatos e assuma as consequências. A vida é causa e efeito.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

ERRATA


Saiu, na nova Let´s Go Bahia, uma frase atribuída a mim que eu simplesmente não falei: "Porém isso não faz muita diferença. A Ortomolecular age, por exemplo, da mesma forma que a quimioterapia para pacientes com câncer". EU NUNCA FALEI ISSO!

Houve um erro na composição deste período, sendo que, na verdade o que falei foi que a Terapia Ortomolecular é um tratamento médico como outro qualquer. É uma arma que o médico pode utilizar para tratar seus pacientes, assim como a antibioticoterapia para tratar infecções e a quimioterapia para combater o câncer. EU NÃO DISSE E NEM CONCORDO COM A IDÉIA DE TRATAR CÂNCER ATRAVÉS DA TERAPIA ORTOMOLECULAR. O que realmente fazemos nestes casos é ajudar os pacientes com a doença a ter uma melhor qualidade de vida enquanto realizam os tratamentos de quimioterapia e/ou radioterapia.

Além disso, o início do período deu a entender que uma opinião do CFM não faria diferença para mim. Isso NÃO PROCEDE. Sou submetido à regulação do CFM como qualquer outro médico e respeito suas decisões, trabalhando de acordo com a Resolução do Nº 1.938/2010, que regula a prática Ortomolecular.

Espero que tenha ficado claro para todos eu tenha conseguido corrigir este engano, provável fruto de uma falha de comunicação e/ou entendimento posterior entre eu e o jornalista que realizou a entrevista.

Abraços a todos.

Dr. Adolfo Duarte

P.S.: Leiam a revista. Apesar de ter ocorrido este erro, é uma publicação de grande qualidade sobre a Bahia, suas belezas, atrações e serviços.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Previna-se - SISTEMA ES COMPLEX

Toda vez que eu vejo esse sistema fico entusiasmado!

Imagine avaliar uma série de fatores de saúde e indicativos precoces de doenças e desequilíbrios orgânicos sem precisar nem mesmo de uma gota de sangue. Pois é. Isso é possível com esse sistema.

Utilizando um sistema de sensores não invasivos e cruzando os dados coletados em um software próprio, o sistema consegue avaliar a saúde de vários órgãos, bem como condições relacionadas com diversas patologias e disfunções, como hipertensão e diabetes, ajudando a nortear condutas diagnósticas e terapêuticas com maior precisão. Em português claro, o sistema ajuda o médico a diagnosticar e tratar ainda melhor seus pacientes.

Dados importantes sobre neurotransmissores cerebrais, saúde de órgãos como fígado e pâncreas, funcionamento do coração e da circulação são coletados sem invasão e em curto espaço de tempo. Muitos dos dados fornecidos pelo sistema simplesmente não têm como ser obtidos por nenhuma outra técnica de aplicação prática.

Além de tudo isso, faz a avaliação tetrapolar de composição corporal por bioimpedância, dizendo as quantidades de massa gorda, massa livre de gordura e água do organismo, melhorando a avaliação dos resultados de programas dietoterapêuticos e de atividade física. Avalia, também, dados relativos à capacidade atlética do paciente, ajudando a definir, com maior adequação, seus programas de exercícios físicos.

Em resumo, o sistema possibilita a reorientação de estilo de vida com objetivo de prevenir a instalação ou desenvolvimento de diversas patologias, favorecendo a qualidade de vida do paciente.

Tudo isso com registros no FDA, na EMA e, principalmente, na ANVISA. Além disso, diversos estudos já foram e têm sido realizados na UNICAMP-SP, validando cada vez mais sua utilidade no screening de patologias do fígado, do coração e da próstata, bem como nas condutas terapêuticas em casos de hipertensão arterial e diabetes.

Eu fico feliz em ver uma tecnologia assim se desenvolver e adquirir cada vez mais credibilidade por todo  o mundo, o que mostra que os esforços no sentido da medicina verdadeiramente preventiva podem gerar frutos práticos, que nos beneficiarão a todos cada vez mais.

domingo, 4 de setembro de 2011

Vamos usar liraglutida (VICTOZA®)?

A gente já estava esperando.

A mais recente medicação para tratamento do diabetes tipo II a chegar no Brasil, já aprovada na Europa em 2009 e nos EUA em 2010, é também a nova proposta de vedete para os tratamentos de emagrecimento. Estamos falando da LIRAGLUTIDA (eita nome "lindo"!), um análogo de GLP1 injetável que promete resultados excelentes para ambos os propósitos, tratamento do diabetes tipo II e da obesidade.

Agora que apareceu oficialmente na grande mídia, a tendência é uma chuva de solicitações em consultório para que os médicos prescrevam a droga, como tábua de salvação para todos aqueles que querem emagrecer. É sempre assim. Foi assim com o rimonabanto, foi assim quando caiu a patente da sibutramina e ela se tornou barata. Todos queremos encontrar aquela medicação que seja a solução final para os quilinhos a mais.

Eu acho louvável que todos estejam ligados nas notícias e procurando alternativas tecnicamente comprovadas e seguras para encontrar sua composição corporal ideal e melhorar sua saúde. Concordo 100% que a liraglutida é uma nova opção que devemos avaliar com carinho em sua utilidade extra de combate à obesidade, com poucos efeitos adversos. Só quero que você, que lê este blog, esteja consciente de uma coisa: NÃO HÁ SOLUÇÃO MÁGICA.

É isso mesmo. Vamos prescrever a nova medicação? Sim, para quem seja adequado prescrevê-la. Ela não é para quem já está magro e quer "travar" o abdome. Ela não é para quem quer "perder umas gordurinhas localizadas". É uma medicação para tratamento de diabetes tipo II que mostrou, TAMBÉM, bons resultados no tratamento da OBESIDADE. A metformina e a pioglitazona também apresentam esse perfil, mas com resultados muito mais modestos.

Temos uma nova proposta e muitas esperanças pela frente? Sem dúvida! Mas vamos com calma quando estamos falando em saúde, ok? Acreditem quando digo que uma medicação liberada lá fora há 1 ou 2 anos é bem recente e que devemos ter cuidado em administrá-la da forma mais coerente possível, para não nos arrependermos depois.

Antes de pedir pela nova medicação, pense no seguinte: você está se esforçando tanto quanto pode para emagrecer? Lembre-se que, mesmo que utilize qualquer medicação, ela será temporária e, depois disso, você vai ter que segurar seus resultados com disciplina, alimentação equilibrada, exercícios, bom sono, e todos os elementos psíquicos que também compõem a boa saúde.

Lute sempre! Use as armas que realmente necessitar. Conte com seu médico.

domingo, 28 de agosto de 2011

Prevenção sim, neurose não



Sabe quando alguém chega pra você e pergunta: "Você usa filtro solar?" Se usa, vem aquele pensamentozinho ruinzinho na cabeça: "Abestalhado... quem é que não sabe que tem que usar?" Agora, se não usa, vem uma culpa desgraçada à mente junto com: "Câncer de pele. Eu estou me matando! Ooooooh! Como posso ser tão descuidado(a)?!"

Que coisa, né?

Nos últimos anos, proliferou bastante a idéia da prevenção. A percepção de que evitar as doenças é melhor e mais barato do que lidar com elas depois que se instalam em nosso organismos veio para ficar e só aumenta. Este pensamento é tremendamente correto e benéfico, gerando maior qualidade de vida e uma longevidade que vale a pena.

O problema somos nós.

Gente tem essa mania de exagerar nas coisas. Em tudo tem o extremista que quer levar tudo ao pé da letra... a ferro e fogo... e quer arrebanhar um monte de seguidores ao seu redor, em sua mais recente religião do CUIDADO A TODO CUSTO. São aquelas pessoas que se cercam de informações sobre prevenção, das mais variadas maneiras, e querem colocar absolutamente TODAS em prática e AO MESMO TEMPO.
Rapaz, como isso é complicado! Se vai se expor ao Sol, coloque o filtro solar. Aí se descobre que aquele filtro "excelente" que você estava usando tem substâncias cancerígenas... e que a luz artificial dentro de casa também causa mal a sua pele... bem como a TV. E tem também o ar. O ar tá todo contaminado. E você respirando aí essa porcaria! É monóxido de carbono, fuligem, hidrocarbonetos variados... até os perfumes para ambientes, desodorizadores, partículas de pele e pelos em suspensão... que gororoba! Sem falar na água, tratada com sais de alumínio, de onde vem uma grande contaminação... com patículas da tubulação e até do próprio filtro. Os plásticos também participam da orquestra do terror. Se aquecido o alimento dentro deles, substâncias nocivas são liberadas para o alimento e, aí, já viu... risco de câncer. Por aí vai.

Eu acredito e defendo a adoção de todas as medidas necessárias para evitar essas contaminações e adulterações nocivas das características dos alimentos, do ar, da água, da nossa relação com o mundo. O que eu quero que você veja é o seguinte: ainda não temos como evitar tudo, colocar tudo em um limite de segurança perfeito. Ainda não temos mecanismos de controle e nem conhecimento bastante para ficar totalmente seguros do ponto de vista do riscos físicos, químicos e biológicos. Nem dos psicológicos. Talvez consigamos daqui a uns 300 anos... Não vale a pena ficarmos neuróticos com tudo isso, pois isso gera tensão e nos adoece. Devemos nos dedicar a controlar, tanto quanto possível, os riscos.

Risco envolve chance, estatística. Risco vai definir qual a chance de alguma coisa ruim acontecer, dentro da avaliação dos fatores que dispusermos para trabalhar referentes a um ou mais sistemas que conheçamos. Quando falamos de risco biológico, acredite, conhecemos ainda pouco sobre os sistemas. Estamos aprendendo, em alguns casos a passos largos, em outros nem tanto. Somos crianças que querem mostrar para as outras que "o meu é melhor", ou que "eu sei mais do que você." Isso é feio. Muitas vezes tentamos fortalecer nossas medidas, para nós mesmos, apenas psicologicamente, diminuindo as dos outros. Isso não aumenta nossa proteção. Não diminui nossos riscos.

Vamos encarar a realidade. Mesmo que você fique dentro de uma bolha isolado(a), ela vai ter que ser de plástico, que já gera problemas. Se for de vidro, corre o risco de quebrar. Em qualque uma, o filtro de ar vai alterar o próprio ar e talvez ele gere riscos também. E aquele alimento "orgânico" (nome horroroso. Nunca vi um tomate inorgânico, por exemplo), que não recebeu defensivos agrícolas, pode ter sido cultivado em solo pobre, ou pode ter alguma contaminação biológica... Não dá pra fugir 100%.

Use os recursos que tiver para minimizar os danos. Tome suas vitaminas antioxidantes, seus alimentos desintoxicantes, faça exercícios, yoga, medite, ame, se divirta, faça psicoterapia, trabalhe sua postura, tenha ocupações de que goste, tenha contato com a natureza, ouça música, consulte uma nutricionista, acompanhe as notícias sobre saúde (difícil é achar uma fonte que valha a pena), pergunte a seu médico como se prevenir. Escolha suas armas, defina sua estratégia e assuma as consequências do que for deixar passar. Viver é isso!

Admita. Todos nós temos chance de infartar, ter câncer, derrame, "nó nas tripa", levar um tiro, ser atropleados ou, até mesmo, cair um raio em nossas cabeças. Vamos tomar todos os cuidados que sejam pertinentes, com bom senso, sem nos tornar pessoas neuróticas que limitam suas vidas, fervem chupetas de bebê toda hora, nunca deixam os filhos andar descalços ou higienizam as roupas de baixo no microondas. Ou você nunca pegou aquele último biscoito do pacote que caiu no chão, olhou pra um lado e pro outro, e comeu? Hein?

HEIN?!

Bom senso é o guia. E não deixe de usar o filtro solar, alimentos orgânicos são melhores, faça atividade física regularmente e por aí vai.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

A reportagem do Rede Bahia Revista

Agora foi, pessoal.

Acabei de assistir a reportagem do Rede Bahia Revista de hoje, da qual participei, sobre Ortomolecular. Foi uma das poucas vezes em que eu vi um material de mídia ser formatado realmente com objetivos de esclarecimento sobre a Ortomolecular. Isso me deixa muito feliz. Obrigado à produção do programa e a Ana Valéria, super carinhosa e competente em seu ofício.

A participação foi pequenininha, mas deu pra esclarecer alguns aspectos importantes.

Primeiro de tudo, que a prescrição Ortomolecular não é "cheia de remédios". Nós temos a necessidade de prescrever alguns suplementos nutricionais (que você pode conhecer mais no post Suplementos Nutricionais) e, como a maioria deles precisam ser manipulados, para atingir seu alto nível de personalização, temos que recorrer às farmácias de manipulação. Como são feitos em cápsulas, e não comprimidos, acabam ficando distribuídos em muitas cápsulas, dando a impressão de "muitos remédios". São, na verdade, um complemento à alimentação diária. A quantidade de cápsulas varia diretamente com as necessidades e buscas de cada paciente, bem como depende de sua alimentação, atividades, riscos e alcance financeiro. Tudo isso é levado em conta. Só precisamos que todo paciente seja muito franco e claro nas suas demandas.

Carlinha mostrou as cápsulas que ela toma, algumas antes e outras depois das refeições, e fez um prato BEM light. Ela está seguindo um programa específico, que atende às necessidades dela, e o está executando muito bem. Há uma orientação nutricional temporária, que NÃO é dietoterapia (já que eu não sou nutricionista), e que serve para alcançar objetivos que atendem a ela. Não quer dizer que todos os paciente tenham que comer de uma forma específica e nem que exista algo como uma Dieta Ortomolecular.

Fiquei feliz e grato com a participação sensata do CREMEB, que manteve a posição técnica e ética que lhe cabe, ratificando o fato de que NÃO EXISTE ESPECIALIDADE MÉDICA ORTOMOLECULAR. É, sim, uma prática aberta a todos os profissionais médicos que se proponham a explorá-la e, eticamente, adquirir os conhecimentos necessários para tanto. Temos uma resolução do CFM, a 1938 de 2010 regulamentando a prática, em revisão a outra resolução, a 1500 de 1998.

Eu quis dizer, no pouco tempo, que o tratamento serve para otimizar o organismo e ampliar a saúde. Serve para, além de tratar pessoas doentes, evitar que elas adoeçam. O verdadeiro objetivo é promoção da saúde, não correr atrás dela. Quero que vocês corram COM ela. Saúde sempre e expandida, para uma qualidade de vida igualmente expandida.

Teria mais um montão de coisas pra falar, mas sabe como é televisão, né? O tempo é curto.

O que importa mesmo é que foi mais uma oportunidade de esclarecer a população sobre esta terapêutica que abre portas para uma saúde melhor e uma vida mais feliz.

domingo, 21 de agosto de 2011

Proibir X Educar

Já faz alguns meses que vemos, através dos meios de comunicação, a discussão sobre se devem ser banidas definitivamente as medicações anorexígenas (também conhecidas como inibidores de apetite) ou se as mesmas devem continuar sendo prescritas por médicos, profissionais capacitados para tanto, sob estrita vigilância através das fichas B2 ou quaisquer outros métodos propostos. A ANVISA está tendendo, ferozmente, a escolher pelo banimento definitivo destes medicamentos.

E daí?

Observe bem: não sou grande prescritor de anorexígenos. Repito: NÃO SOU GRANDE PRESCRITOR DE ANOREXÍGENOS. Só os utilizo como ferramentas terapêuticas quando meu paciente apresenta uma necessidade muito específica como, por exemplo, incapacidade plena de seguir um programa alimentar sem este auxílio medicamentoso. São pouquíssimos os casos onde realmente preciso lançar mão desse recurso, mas eles EXISTEM.

Alguns colegas que, inclusive, tratam muito mais pacientes com obesidade do que eu, fazem um uso ainda mais frequente desses medicamentos. Quando usados corretamente, por profissionais éticos e atentos às reais NECESSIDADES, e não DESEJOS, de seus pacientes, tais medicamentos são tremendamente úteis e bem vindos.

São tão nocivos quanto quaisquer outros, se utilizados incorretamente. Uma das moléculas lícitas que mais males causou a pessoas em todo mundo até hoje é o paracetamol, se tornando o maior causador de insuficiência hepática nos Estados Unidos. Este remédio, fraco analgésico e fraco para baixar e manter baixa a febre, foi até indicado nas propagandas para ser utilizado contra a Dengue! A doença já ataca o fígado e absurdamente te dizem pra usar um medicamento que pode acabar de detonar ele! Que associação inteligente, não?!

Proibir os anorexígenos, além de ser uma limitação a mais para o trabalho médico, vai criar um mercado negro dessas drogas, como já acontece com muitas outras. Hoje, são medicamentos baratos e vendidos com receita controlada B2. Se forem proibidos, vão ter seus valores elevados nas mãos de traficantes inescrupulosos e um monte de jovens mal orientados vão fazer uso sem que suas famílias e médicos saibam. Isso sim é perigoso!

Será que é tão difícil perceber que o único benefício que se pode gerar, na verdade, é a educação real do público e dos profissionais de saúde a respeito dessas medicações? Só através da conscientização podemos trazer segurança ao uso de qualquer substância. Vai doer tanto assim fazer campanhas educativas eficientes, tanto para leigos quanto para profissionais da saúde e, finalmente, FISCALIZAR ADEQUADAMENTE ESSA RELAÇÃO?

Essa conduta paternalista, de proibições, já faz parte do nosso dia a dia de trabalho. Parece que todos os médicos, e também os pacientes, sofrem de algum retardamento mental e não podem tomar decisões sozinhos. São proibidas substâncias sem grandes motivos e, algumas que são potencialmente perigosas, circulam livremente, inclusive sem necessidade de receita, ou alguém acha que não há risco em consumir uma cartela inteira de AAS 500mg?! Vende na farmácia sem nem receita. Isso não é fiscalizado.

A realidade dos suplementos nutricionais no nosso país continua em meia-trava porque, apesar dos esforços de mestres nas áreas de medicina, nutrição e bioquímica para esclarecer o assunto. Os argumentos de "ainda não há estudos que comprovem..." são sempre os mesmos. Será que as agências reguladoras do Japão, da Alemanha e dos EUA são menos competentes do que a ANVISA por liberarem estas substâncias para o uso com a devida orientação?
Finalmente, só me resta crer que muitos se pautem em uma coisa: o lema "é mais barato e fácil proibir do que fiscalizar eficientemente e educar". Que raciocínio raso para basear condutas para toda uma nação, não?