segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Movimentos naturais e saúde


Este texto é mais uma cotribuição do nosso parceiro e colaborador, o Ed Fis Jair Silvany.

Os movimentos são fundamentais para a nossa vida. Tão fundamentais quanto se alimentar ou beber água. 

Os movimentos naturais são todos aqueles movimentos que o indivíduo vai aprender naturalmente em algum momento da vida. São eles: correr, agachar, rolar, saltar, puxar, empurrar, arremessar entre outros. São parte integrante do nosso ser e indispensáveis para a evolução e até sobrevivência do ser humano. O ato de arremessar, por exemplo, foi fundamental na nossa história, desde o desenvolvimento da caça, até como defesa. Imagine que o homem caçava com lança há uns 500.000 anos atrás e se utilizou da própria lança em guerras, há até dois séculos atrás, nas guerras napoleônicas.

Por mais difícil e estranho que pareça, os exercícios que fazemos na academia podem até nos fortalecer, mas de forma alguma preparam nosso corpo para tarefas funcionais. Os movimentos livres nos dão mais força, agilidade, flexibilidade, resistência, elasticidade, coordenação motora e equilíbrio do que qualquer aparelho de musculação. Isso acontece porque os exercícios em aparelhos de musculação isolam um determinado grupo muscular. Como todo músculo do nosso corpo possui um músculo antagônico correspondente, cria-se um desequilíbrio entre os grupos musculares, que o profissional que prescreve exercícios em aparelhos precisa saber compensar adequadamente. Já nos exercícios com movimentos livres, esse desequilíbrio praticamente não acontece pois a pessoa que está executando trabalha todo o grupo muscular ao mesmo tempo.

Sente dificuldade em subir alguns lances de escada? Quando chega no topo sente as pernas ardendo e o coração disparando? Sinal de que suas pernas estão fracas. O ato de agachar melhora nossa mobilidade funcional e nos dá mais velocidade em caminhadas e corridas, resistência em subir escadas e ladeiras, aumento da nossa densidade mineral óssea, redução das chances de fraturas e doenças como osteopenia e osteoporose, fortalece a musculatura do "core" (o centro do corpo, envolvendo grupos musculares de abdome e tórax) evitando dores nas costas, maior altura em saltar e um melhor desempenho nas atividades esportivas. Tudo isso porque o agachamento é um exercício composto, como eu disse anteriormente, recrutando mais de um grupo muscular ao mesmo tempo.

Mulheres que querem ficar com um bumbum durinho, por favor, façam agachamentos! Os exercícios com caneleiras recrutam somente 30% das fibras musculares do glúteo, enquanto o agachamento recruta 70%. O agachamento é um dos melhores exercícios para atletas e para a população em geral, contudo não é um exercício simples. Requer cuidado com postura, execução e carga, como qualquer outro exercício. Apesar disso, está longe de ser um destruidor de joelhos. O que destrói joelho é postura ruim, excesso de peso e impacto.


Outros dois movimentos naturais que sempre andam juntos são o puxar e o empurrar. O cientista Isaac Newton relata, em sua terceira lei do movimento, que para cada ação, há uma reação de igual intensidade e no sentido oposto. Da mesma forma, no corpo humano, cada movimento tem a sua oposição. Como eu já tinha adiantado, todos os músculos no corpo humano possuem seu antagonista. Diversos especialistas acreditam que treinar os músculos agonistas e antagonistas juntos é uma ótima maneira de aumentar a força e o volume muscular. Algumas pesquisas mostram que, quando é realizado um exercício para um grupo muscular e, em seguida, outro exercício para o grupo muscular antagonista, o desenvolvimento de força é maior para o segundo exercício. Este fato ocorre devido a um sistema conhecido como proprioceptivo, que possui, entre outras características, a capacidade de diminuir o risco de lesões. Sua ação ocorre da seguinte maneira: quando é gerada uma tensão elevada em um determinado grupo muscular, o sistema nervoso central emite um sinal para que este grupo muscular relaxe, evitando que uma tensão excessiva ocasione lesões nestes músculos. Ao mesmo tempo, enquanto os músculos atuantes recebem o estímulo do relaxamento, os músculos antagonistas recebem um estímulo para contrair-se, melhorando o mecanismo contra lesão, ou seja, o balanço entre relaxamento e tensão leva ao equilíbrio para evitar contusões.

Tudo bem projetado e funcional no sentido de um rendimento compatível com a capacidade. Este é o equilíbrio natural dos nossos movimentos. Respeitar estes mecanismos nos ajuda a ter resultados de treinamento mais concretos e uma saúde melhor. Esta é a base de diversas metodologias de treinamento, hoje em dia.


Movimentos naturais, respeito aos limites, respeito ao repouso.

Tudo isso também é saúde,