sábado, 15 de março de 2014

Hormônios e câncer ou éguas prenhas, análogos sintéticos e vegetais X moléculas idênticas às nossas

Hoje eu fiquei feliz com uma coisa que vi na TV aberta!

Minha esposa me chamou a atenção para um quadro de um programa matinal onde um colega médico afirmou: "se hormônio causa câncer, por que você não teve com 25 anos de idade? Por que uma amiga sua não teve câncer de mama com 22?", ou algo parecido.

Sabe por que eu fiquei feliz? Porque é verdade! Toda vez que eu vejo afirmações onde se diz que hormônios causam câncer, muitas vezes proferidas (infelizmente) por colegas de profissão, eu fico me perguntando:

POR QUE, ENTÃO, NA FASE DOS PICOS HORMONAIS, EM TORNO DOS 22 ANOS, A INCIDÊNCIA DE CÂNCER É MUITAS VEZES MENOR DO QUE NA FASE DE FRANCA DEFICIÊNCIA HORMONAL, POR VOLTA DE 60 ANOS?

Não é uma pergunta interessante? A resposta é simples: PORQUE HORMÔNIOS NÃO CAUSAM CÂNCER. Só isso.

Os hormônios são "comunicadores" entre tecidos que apresentam funções específicas e tremendamente importantes na regulação de nosso organismo. O equilíbrio funcional de nossos tecidos depende do balé harmônico entre estes elementos e isto vai ocorrendo, de forma muito eficaz, até uns 22 anos. A partir daí, começamos a "descer a ladeira". Isso fica perceptível realmente lá pelos 30 ou 35 anos e a gente pensa: "é... tô ficando véio". Na deficiência dos hormônios, vamos envelhecendo e nossos tecidos começam a perder, cada vez mais, esta sintonia... esta harmonia que os deixava equilibrados intrinsecamente e entre si.

Vão surgindo cada vez mais disfunções e quedas de capacidade, de acordo com os cuidados e predisposições individuais, fazendo crescer vários riscos de doenças... inclusive o de câncer! Com a QUEDA dos hormônios, AUMENTA o risco de câncer. O que observamos, de fato, é isso. Não quero dizer que não haja, por exemplo, cÂnceres em crianças. O que estou afirmando é que a deficiência hormonal aumenta os riscos, e não a presença dos hormônios.

Independente do raciocínio acima, sempre vem o questionamento: "Mas doutor. Todo lugar que eu olho vejo alguém falar que hormônio faz mal. Inclusive médicos!". Infelizmente, isso ainda acontece muito. Por desconhecimento, muitos profissionais atribuem aos hormônios, normalmente em reposição, o risco de surgirem cânceres. Sabe por que isso acontece? Vou te contar uma historinha.

A primeira proposta de reposição hormonal que surgiu, de forma concreta, foi o PREMARIN. Era um complexo de estrogênios conjugados extraído diretamente da urina de éguas prenhas. Foi uma primeira tentativa, mas aumentava o risco de câncer de útero. Dava pra imaginar que fosse causar algum problema se considerarmos que os tipos e o equilíbrio entre os estrogênios de uma égua são muito diferentes que os de uma mulher. Depois dele, veio o PROVERA, que é o acetato de medroxiprogesterona, um análogo da progesterona natural (mas que não é progesterona em si). Aumentava o risco de câncer de mama.

Veja só que "legal"! A esta altura, a mulher podia escolher se queria ter um câncer de útero ou se preferia um de mama! Era só escolher a reposição hormonal correta! Constatado isso ao longo dos anos, como é que não iria suscitar um certo terror em torno das reposições?

Pra contrapor tudo isso, muitas propostas de reposições com hormônios vegetais foram propostas, mas sua potência sempre foi mais tímida e também há alguns outros riscos, mesmo que pequenos.

Resumindo tudo, mulher não deve receber hormônios de égua, nem análogos hormonais sintéticos e nem análogos hormonais vegetais, ou seja, deve receber hormônios DE MULHER. Pensando nisso, começaram a ser utilizados os hormônios bioidênticos (e isso já tem um tempão, viu? Não é nenhuma novidade, como gostam de dizer por aí.)

Os hormônios bioidênticos ou as bases micronizadas dos hormônios são moléculas idênticas às nossas e portanto, QUANDO UTILIZADOS DE FORMA EQUILIBRADA, TENDEM A CAUSAR MUITO MENOS PROBLEMAS. Na verdade, eles apenas reestabelecem aproximadamente os riscos normais que a pessoa tinha antes do decaimento hormonal. COMO QUALQUER MEDICAMENTO, SE UTILIZADOS DE FORMA INCORRETA E IRRESPONSÁVEL, PODERÃO GERAR PROBLEMAS (coloquei em maiúsculas pra ninguém deturpar o que estou escrevendo, OK?).

Vistos tudo isso eu afirmo pra vocês: procurem um profissional capacitado e façam suas reposições hormonais de acordo com cada caso. Não dá, definitivamente, pra copiar a receita da vizinha. As necessidades são individuais, pessoais e intransferíveis. Se você respeitar isso, terá muitas alegrias recuperando diversas capacidades que já foram reduzidas ou perdidas.

Pense nisso. Reflita bem e pense sempre que você merece aproveitar sua vida ao máximo e estes raciocínios e práticas podem garantir isso de forma muito mais plena.

Viva plenamente!