quinta-feira, 12 de novembro de 2015

O Paciente Mal Assombrado

De vez em quando, acontece algo do tipo:


- Dr Adolfo! Tô com um problema sário! Meu colesterol tá muito alto!
- Mesmo? Alto quanto? - eu pergunto.
- ... bem... não sei... meu primo, que estuda veterinária, viu o exame e disse que tava alto e que eu podia morrer com as veias entupidas de gordura! Ai, meu Deus! Tô muito preocupada!
(Aproveite pra dar uma lida em Gorduras, colesterol e blá-blá-blá)
...

Nem é tão "de vez em quando" assim. Na verdade, isso é bem frequente. Também acontecem coisas do tipo:

[3h da manhã, insistentemente, o celular toca]
- Adolfo?! Tô na emergência do Hospital! Acho que tô infartando! Será que eu vou morrer?!?!
[Eu, esfregando os olhos e sem entender nada, mas tomando um susto] - Como assim? O que foi que aconteceu?!
- Eu li meu exame e vi que a Proteína C Reativa tava alta e a tabale dizia que era grande risco coronariano! Comecei a sentir uma dor no peito, na mesma hora, e vim correndo pra cá. Minha mulher e minha mãe estão aqui comigo e meu tio, que é amigo do dono do hospital, já tá providenciando internamento na unidade coronariana!

...

Vou parar os exemplos por aqui. Estes são dois casos de "pacientes mal-assombrados". É isso mesmo que você leu. Tipo aquelas casas mal-assombradas de filmes e desenhos animandos. Estes pacientes estão fortemente perturbados pelos "fantasmas" de doenças e problemas pessoais que são traduzidos em preocupações com a saúde e a morte.

Estas pessoas são vítimas de um conjunto de circunstâncias muito nocivo e comum, hoje em dia. Em geral, estão passando por problemas pessoais e/ou profissionais importantes, com alto grau de frustração, sem as devidas compensações na vida e, em geral, carentes de algum tipo de assistência pelas pessoas queridas. Além disso, elas costumam encontrar, por todo lado, um monte de informações truncadas sobre saúde e doenças, veiculadas pela mídia e pelas redes sociais, sem o devido cuidado. Sugestionadas, como já estão, acabam sofrendo um efeito devastador. Pra completar a bagaceira, muitas vezes elas encontram profissionais desatualizados tecnicamente ou despreparados emocionalmente para cuidar delas.

Se coloque em um conjunto de situações assim. Você não estaria mal-assombrado também? Ou melhor... SERÁ QUE VOCÊ NÃO ESTÁ MAL-ASSOMBRADO AGORA MESMO?!

Se sim, procure informação. Não existe arma melhor contra fantasmas. Lembre-se que, no caso dos profissionais, o que os qualifica para te ajudar a entender as coisas é o grau de dedicação e estudo, e não os títulos pendurados na parede. Procure esclarecimento com médicos, nutricionistas, coaches, psicólogos, educadores físicos e terapêutas que demonstrem, claramente, que são buscadores do saber. Aqueles que acreditam que "já sabem tudo", não vão poder te ajudar muito.

Seja um caçador de informações, mas cace nos melhores campos.

Informe-se e... Não se desespere.