segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Planeje sua... morte?

Antes que você se assuste muito, este post é uma forma irônica de cuidar de um assunto importante. Leia até o final que você vai entender.

Eu sei que o título ficou esquisito, até mesmo, macabro, mas é real. Este post nasceu de uma constatação sobre o comportamento da maior parte de nós. Parece até uma bobagem, mas não é. O fato é que, na maior parte das vezes, nós não conseguimos planejar nossas vidas. Já reparou?

É comum fazermos planos mas, a rigor, simplesmente fazer planos não é planejar de fato. Planos soltos e desconexos estão fadados ao fracasso ou a sucessos parciais, nem sempre satisfatórios. Um planejamento de vida envolve metas e prazos harmonizados entre si, garantindo resultados mais consistentes e satisfatórios. Quase ninguém faz isso direito.

Acredito muito que temos dificuldades em realizar determinadas coisas por uma questão simples de ponto de vista. Visto tudo isso, pensei numa coisa: vamos planejar nossas mortes então?

Sério. Já que não conseguimos planejar adequadamente nossas vidas, vamos planejar nossas mortes. É uma mudança de enfoque interessante. Vamos começar?

Antes de qualquer outra coisa, pense no tempo. Você quer morrer logo ou quer demorar mais? Existem atitudes adequadas pra quem quer ficar mais tempo aqui, em vida, e outras para quem quer se despedir logo. Ir rápido é relativamente fácil. Associe bebida, direção imprudente, falta de atenção com sua segurança pessoal e, em um país violento como o nosso, seu objetivo será alcançado. Quer ir lentamente, daqui a mais muitos anos? Coma bastante açúcar e amidos simples, como o pão; fume bastante; durma pouco; beba pouca água; guarde muitos rancores e mágoas; tenha um péssimo humor; irrite-se com facilidade; não use nenhum suplemento nutricional; não faça nenhuma modulação/reposição hormonal necessária. Seguindo estas dicas, você morre daqui a muitos anos, lentamente e, provavelmente, com requintes de agonia.

Vamos pensar em outra coisa agora? Seguros. Você é uma pessoal responsável com aqueles que dependem de você? Então tenha um excelente seguro de vida. Já que estamos planejando a sua ausência vamos, pelo menos, ajudar a garantir o financeiro de quem fica, compensando a sua falta pelo menos nisso. Não pense que é dinheiro jogado fora. Na verdade, um seguro de vida é um ato de amor para com sua família.

Continuando nosso planejamento de morte, reflita sobre suas crenças. Você acredita em vida após a morte com redenção ou danação? Reencarnação? Acredita em nada? Será que valeria a pena pensar um pouco mais no assunto e procurar qual seria seu alinhamento? Acredito que seja interessante ter uma idéia minimamente confortável sobre isso quando chegar a hora de cruzar esta fronteira. Que tal aproveitar para reciclar sua espiritualidade... ou não?

Vamos agora a uma outra questão interessante. Que legado você quer deixar neste mundo? Digo, como quer que as pessoas se lembrem de você? Já pensou que a maneira como você trata as pessoas, se relaciona com elas, mantém suas amizades e tudo o mais vai ficar gravada na mente de todas elas? Elas só terão, de você, lembranças. Como você quer que estas sejam? Boas ou más?

Saindo um pouco da esfera pessoal e indo para a profissional, você gostaria de deixar um legado também neste campo? Quer ser lembrado como um profissional excelente, que fazia a diferença ou aceita numa boa ter sido apenas mais um? Não tem nenhum problema não se destacar, mas se você tem interesse em deixar uma imagem especial nesta área, precisa se dedicar. Avalie sua conduta e direcionamento profissionais e veja se está no caminho certo para deixar a marca que gostaria. Pense em como quer que esteja este conceito quando você se for e faça por onde isso acontecer.

Vamos ter um pensamento agora que pode parecer meio bobo, mas também traz reflexões interessantes. Como você quer parecer no seu caixão? Melhor ou pior aparência? Mais gordo ou mais magro? Precisamos pensar nesta forma física pra conseguirmos figurar bem no momento. Sempre tem umas fotos, né? Então. Será que não tá na hora de começar a cuidar da forma física e da sua aparência geral? Tenho certeza que você será um defunto muito mais bonito se começar a se cuidar agora mesmo! Controle alimentar, rotina de exercícios, bom sono, boa hidratação, higiene respiratória... Tudo isso pode contribuir, e muito, para que você fique bem nesta hora tão importante.

Pois então. Já falamos sobre trabalho, legado, grana, saúde, forma física, aparência, relações interpessoais, crenças... Falamos sobre SUA VIDA! Planejando sua morte, estamos repensando como você de fato vive. Percebeu que interessante? Pensar sobre tudo isso, e muito mais coisas que não citei aqui, pode ser a chave para ter uma boa morte... TENDO UMA BOA VIDA.

Pense nisso. Esteja presente. Seja protagonista. Planeje.

VIVA!