segunda-feira, 4 de maio de 2015

Vitamina D e você: tudo a ver!

A bola da vez, em termos de vitaminas, é a vitamina D.

Descoberta no século XIX, a vitamina D recebeu este nome, simplesmente, por ter sido descoberta depois da

A, da B (que depois descobriu-se ser um grande complexo de vitaminas) e da C. Por ter sido identificada através de estudos que envolviam raquitismo em crianças, ficou muito vinculada às questões relativas à saúde óssea, o que é verdade, mas não é tudo.

A vitamina D é lipossolúvel, ou seja, se solubiliza em gordura e já há 5 formas descritas, de D1 a D5. A que nos interessa mais é a D3, que é produzida em nosso organismo.

- Mas, Adolfo! Como assim "produzida em nosso organismo"?! Não é uma vitamina?!

Pois é. Trata-se de uma vitamina lipossolúvel, produzida no nosso organismo em um mecanismo complexo e belo que começa na pele e envolve muitos outros tipos celulares. Por causa desta produção e por ter, como matéria prima fundamental, o colesterol, muitos cientistas buscam modificar a denominação dela de "vitamina" para "hormônio". Eu, particularmente, concordo com a mudança. A via de produção da vitamina D realmente nos faz pensar assim. A grosso modo, é assim:

O colesterol é transformado em 7-dehidrocolesterol, na pele onde, sob ação dos raios UVB e do calor, é transformado em vitamina D3. Esta vitamina D3 (colecalciferol) é modificada no fígado, tornando-se 25 hidroxi vitamina D3 (calcidiol). Esta nova forma, por sua vez, se torna 1,25 dihidroxi vitamina D3 (calcitriol) nos rins. Esta é a forma verdadeiramente ativa, a que faz todas as funções benéficas para o nosso organismo. Quando decomposta, a vitamina é excretada pelo fígado na forma de ácido calcitroico. Estas transformações e ativações também ocorrem em muitas outras células do corpo, especialmente nas do sistema imunológico, reafirmando a função importante da vitamina D no fortalecimento das nossas defesas contra microorganismos nocivos.

A função fundamental da vitamina D, regulando cálcio e fósforo no nosso corpo, explica boa parte dos benefícios que ela causa por um motivo muito interessante: o cálcio é um sinalizador e ativador celular fantástico, envolvido em inúmeras relações entre cada parte do nosso organismo. Depende do cálcio a contração muscular, a neurotransmissão, a capacidade das células formarem vesículas/vacúolos, a síntese de muitas substâncias e mais um monte de coisas importantes. De fato, a vitamina D está envolvida em muitos processos orgânicos e é por isso que ela tem ganho cada vez mais atenção de todos. Ela é fundamental, junto com a vitamina K, para uma saúde maior do endotélio vascular, que é a face interna dos vasos sanguíneos, diminuindo o risco de endurecimento dos vasos e formação de placas.

Sua deficiência franca pode causar ou propiciar, por exemplo, depressão, esquizofrenia, infecções, asma, hipertensão, coronariopatias, síndrome plurimetabólica, autoimunidades, fraqueza e dores musculares, osteoporose, osteomalácia, cânceres de mama, próstata, cólon e pâncreas.
Consideramos deficiência um valor menor do que 30ng/ml no sangue, mas acreditamos que o interessante mesmo seja manter valores maiores do que 65ng/ml, para alcançar os maiores benefícios. Os suplementos alimentares são úteis para alcançar esta meta e alimentos realmente ricos nesta vitamina são muito poucos mas, sabe qual é a melhor fonte de todas? A EXPOSIÇÃO Á LUZ SOLAR.

Sem filtro solar e sem vidro, exponha-se ao sol, entre as 11h e as 13h por, pelo menos 15 minutos (se você tiver a pele bem clara) a 40 minutos (se você tiver a pele escura), pelo menos em dias alternados, para fazer com que sua produção ocorra bem.

Seja mais solar, mais saudável e mais feliz!