quarta-feira, 4 de maio de 2011

Mudar

Mudar, mudar, mudar...
Falamos um pouco sobre isso no post passado.
Toda vez que falo nisso, as pessoas tremem.
Dá um branco, uma palidez à la Vanish poder O2, e vem os comentários:
"Mas eu sempre fui assim!"
"Não tem como eu ser diferente."
"Como é que eu vou deixar de..."
E por aí vai.
Mudar dói? Aleija? Mata? Derrete? Sei lá, qualquer coisa! Mudar é realmente esse bicho de 7 cabeças?

A resposta é simples: "É."

Calma. Calma... Não se desespere ainda e largue esse pedaço de tijolo. Seu monitor não merece isso, e nem minha cabeça. Eu não posso mentir pra você. Se mudar fosse fácil, tava todo mundo muito melhor do que está, nos mais variados aspectos. Em forma, com hábitos saudáveis, finanças e relacionamentos em dia e profissionalmente realizados, ou pelo menos muito de tudo isso. Mudar é difícil mesmo e devemos tentar compreender um pouquinho o porquê.

Temos dificuldade de mudar porque temos medo. O ato da mudança significa sair de um estado conhecido (mesmo que ruim) para outro desconhecido (que acreditamos, mas não temos certeza, que será bom). É uma decisão difícil para quem sente-se "confortável" com a situação que vive. Este "conforto" é comum, pois as pessoas tendem a se acostumar com tudo que é previsível e mensurável (mesmo que seja tudo uma droga). Observe que tudo acaba caindo na idéia do comodismo, ou seja, não queremos mudar porque temos medo E temos medo porque tendemos a ser acomodados. Que feio, né?

É horrível mesmo, mas é real. Se você não acredita, reflita, pois apenas um pequeno e seleto número de casos fica fora dessas determinações. Assuma sua situação pois esta é a melhor maneira de começar a encontrar e corrigir as falhas que te ajudaram a ter coragem para sair da "zona de conforto".

Coragem. Como diz o DVD que minha filha assiste "coragem, é o contrário do medo..." Coragem possibilita e induz à tomada de atitude. Com a dose certa de coragem, podemos enfrentar qualquer oponente (e pra vencer as batalhas, precisamos de bom-senso).
Para encontrar a coragem precisamos confiar em nós mesmos. Nos posicionar diante dos problemas com firmeza, cabeça erguida, mantendo a capacidade de enxergar além, para sabermos como abordar, de forma eficiente, estes mesmos problemas. Com uma boa percepção do todo, fica menos difícil determinar que forças agregar e como distribuí-las neste tabuleiro. Daí virão as atitudes.

Ufa! É muita coisa! É bem complicado e trabalhoso. Por tudo isso, a ajuda profissional sempre é bem vinda. Conselhos e orientações servem para que consigamos sucesso onde outros falharam, para que possamos evoluir.

Esteja atento(a) às barreiras e dificuldades que a vida te traz, para que possa perder o medo de posicionar-se diante delas e consiga agregar a coragem para tomar as melhores atitudes. Seja PROTAGONISTA DE SUA VIDA, e mude sempre, cada vez mais, para melhor.