terça-feira, 2 de outubro de 2012

O que é normal?


Sabe quando o profissional de saúde que está cuidando de você pede um exame? Pode ser de sangue, urina, fezes, imagem ou qualquer outro tipo, mas você sempre quer saber se está "normal" ou não. É um direito seu.

Saiba de uma coisa muito importante: a posse do exame é SUA. De quem era o sangue? E o cocô? De quem foi o pulmão radiografado ou o pâncreas "ultrassonografado"? Não foi tudo seu? Então, inclusive pelo código de ética médica, o exame é seu. Você tem todo o direito de abrir, ler, riscar, rasgar, tocar fogo ou coisa pior... e pode, também, entregar para o profissional ler o resultado (essa é, quase sempre, a melhor opção).

Só tem um problema é um só: afinal de contas, em se tratando de resultados de exames, o que é normal?

Somos levados a crer que são os valores dentro dos intervalos de referência, ou os "valores normais" dos exames. Isso leva, tanto leigos quanto profissionais, a cometer muitos enganos. Para que você entenda isso, vamos dar uma olhada no conceito de NORMAL pelo dicionário Caldas Aulete:


(nor.mal)
a2g.
1. Que é natural ou habitual (reação normal).
2. Que é segundo a norma ou padrão
3. Que é usual, comum, habitual, corriqueiro: "Mas não faz mal, é tão normal ter desamor" (Antônio Carlos & Jocafi, Você abusou))
4. Mental e fisicamente saudável (diz-se de pessoa).
5. Pop. Que não foge, em termos de comportamento, à regra da maioria das pessoas
6. Fig. Que é social ou moralmente aceitável: "Não posso aceitar sossegado qualquer sacanagem ser coisa normal" (MIlton Nascimento & Fernando Brant, Bola de meia, bola de gude))
7. Diz-se de pele, cabelo etc. que não é seco nem oleoso
8. Diz-se de curso do ensino de nível médio para formação de professores primários.
sm.
9. Esse curso.
10. Pessoa normal (4): "Eu juro que é melhor/ Não ser um normal" (Rita Lee & Arnaldo Baptista, Balada do louco))

sf.
11. Geom. Reta perpendicular à curva ou superfície.
[Pl.: -mais.]
[F.: Do lat. normalis, e.]

Ufa... Pronto! 11 referências. É um termo sujeito a diversos pontos de vista. OK. Vemos normal como natural, habitual, padrão, norma, usual, corriqueiro... até mesmo em uma referência a saudável, referindo-se a uma pessoa, mas observe:


EM ALGUM LUGAR VOCÊ LEU QUE NORMAL É "O CORRETO"?! Sei que não.


Você não leu, simplesmente, porque não é o caso. O normal, das faixas de referência dos exames, em geral se refere à frequência de um resultado em uma população e precisa, inclusive, muitas vezes ser "regionalizado" para servir como referência que valha. Isso significa que "o normal" pode variar de país para país, região para região, povo para povo. Isso significa, também, que o normal é, em boa parte dos exames, o que "normalmente ocorre", e não o que seja ideal ou perfeito para cada pessoa.

Este "normal" é relativo!

A avaliação de um exame complementar vai muito além da simples comparação dos resultados a tabelas e faixas numéricas. É necessário ponderar os resultados e, não raro, relacionar vários resultados entre si para chegar a uma conclusão realmente útil. Isso tudo tem um motivo muito simples: nosso organismo é composto por muitos sistemas menores que se integram em um sistema maior. Nosso corpo é um complexo de inter-relações e precisa ser avaliado assim.

Também precisamos considerar que, já que as faixas de "normalidade" geralmente têm mais relação com a frequência de uma faixa de resultados do que com estes serem ideais ou não, muitas vezes o ideal para um paciente será um valor específico, ou faixa de valores, dentro desta faixa. Por exemplo, apesar dos valores para insulina sérica em jejum terem como "faixa normal" valores entre 2,5 e 25, eu sempre vou preferir que um paciente meu apresente um valor inferior a 10 ou, até mesmo, a 8, pois são valores que demonstram um sistema de resposta insulínica mais saudável, na presença de uma glicemia dentro do desejável.

Por conta de tudo isso que eu citei acima, lembre que o exame é seu, mas a leitura dos resultados é muito mais complexa do que parece. Se você é impressionável, talvez valha a pena não ler nada mesmo e esperar para o profissional de saúde avaliar tudo e esclarecer.

Não vá se jogar do banquinho embaixo, certo? Peça esclarecimento. Pode ser que seja tudo normal.

Normalmente.