domingo, 26 de agosto de 2012

Microbioma: somos minoria em nossos próprios corpos.

"Nós somos um grande condomínio de bactérias." - afirmação genial do biólogo Marcos André Vannier dos Santos, da FIOCRUZ de Salvador, nos idos de julho de 2005, na 57ª reunião anual da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência). Genial porque é fato, visto que um organismo humano tem cerca de 10 trilhões de células mas abriga algo em torno de 100 trilhões de bactérias, 10 vezes mais. Dá uns 4Kg de microorganismos! É um bocado de coisa!

Pois é. Somos minoria no nosso próprio corpo. O trato digestivo é o maior responsável por isso, abrigando a maior parte destes microorganismos e, creia, possibilitando a sua disseminação por outras áreas. É mesmo. Tem "micro-cocô" por toda a sua pele e, pra piorar ainda mais sua cara de nojo, 20% dele não é seu, mas das outras pessoas com quem se relaciona. Quem você abraça, aperta a mão e conversa. Que "bosta" de informação, né? HEHEHE!

Todo esse enorme volume de seres vivos habitando cada recanto do nosso organismo tem grande valor. Estes pequeninos seres são fundamentais para nossa saúde. Favorecem a digestão, produzem vitaminas e enzimas, combatem micro-organismos nocivos, interferem na nossa produção de neurotransmissores, nos ajudam a não engordar demais... tudo isso se estiverem em equilíbrio. Se não, pode acontecer tudo às avessas! É uma relação onde a harmonia precisa imperar, mas isso costuma falhar.

Nossa alimentação atual, a vida estressante, o uso de diversos medicamentos, principalmente antibióticos e a pouca importância dada, infelizmente, pelos médicos a este tema, tem feito com que seja cada vez mais frequente o surgimento das disbioses, situações onde o desequilíbrio da flora bacteriana intestinal leva a sintomas e doenças. Males digestivos, alergias alimentares adquiridas, enxaquecas, infecções de repetição e, até mesmo, certos casos de depressão, são solucionados ou melhorados pelo tratamento que promova o reequilíbrio da flora intestinal, e isso tem ganho cada vez mais importância no mundo.

Os pesquisadores ao redor do globo apostam tanto na importância das relações entre os micro-organismos intestinais e a saúde humana que lançaram, nos EUA, o Projeto Microbioma Humano, que visava descobrir a identidade destes inquilinos microscópicos. Financiado pelo NHI (National Health Institute), o projeto envolveu mais de 80 instituições em todo o mundo e descobriu que mais de 10 mil espécies de bactérias vivem em nosso corpo, em diversas regiões, compondo diversos ecossistemas que se relacionam. Isso mesmo. Você É um planeta... uma galáxia! Quem sabe, um universo?!

Então veja só: existe um complexo e enorme sistema de inter-relações e interdependência entre uma absurda quantidade de seres vivos em seu organismo. A complexidade disso tudo levará ainda muitos anos para ser compreendida, mas sabemos que nossa saúde depende, diretamente, do equilíbrio disso tudo. Estes micro-organismos favorecem seu crescimento e desenvolvimento, em um processo lindo que resulta de reações adaptativas nos últimos milhares de anos. Por isso eu digo: DEIXE DE PARANÓIA COM AS BACTÉRIAS!

Isso aí! Sabonete antibacteriano, para uso diário, não tem como fazer bem. Sabonete íntimo, sem necessidade, não deve ser utilizado. Esterilizar a boca... pelo amor de Deus! Estas bactérias convivem conosco há muito mais tempo do que compreendemos a existência das próprias! Vamos procurar vias que levem ao equilíbrio simbiótico entre todos. Claro que acontecem infecções, mas isso são situações patológicas específicas e não é tentando "esterilizar" o corpo que você vai evitá-las. Pode até favorecê-las! Converse com seu médico e seu nutricionista. Se eles não dominarem o assunto, peça indicações de quem possa fazê-lo, mas corra atrás. Isso é muito mais importante do que já te disseram.

Não se engane. Não é tomando um iogurtezinho diariamente que você vai resolver isso. É bem mais complicado. Precisa ser bem avaliado e, quando seu médico ou nutricionista te prescrever aqueles complexos de lactobacilos, prebióticos e tal, dê a devida importância. Ele está te fazendo um favor. É fato que, aqui no Brasil, as espécies de microorganismos terapêuticos liberadas são um número bem reduzido, mas isso tende a mudar.

Harmonia
Pense que, assim como você defende a necessidade da manutenção dos ecossistemas da Mata Atlântica e da Amazônia, deve defender os ecossistemas do seu corpo. Lembre, também, que este sistema é dinâmico e está em constante adaptação. Por conta disso, acredite que tudo na sua vida interfere nele. Sua alimentação, seu descanso, suas vivências e relacionamentos, a poluição a que se submete. Tudo importa e deve ser avaliado e adaptado quando possível. É bem certo que estamos engatinhando ainda na nossa capacidade de interferir positivamente sobre este equilíbrio, mas já é possível fazer algumas coisas boas com a alimentação e alguns suplementos, além de algumas mudanças de hábitos.

Vamos lutar por uma saúde mais integral, mais harmoniosa.

Percamos os preconceitos.

Estudemos... e muito.