terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

"Musinha fitness": o que isso tem a ver com nossos filhos?

Este texto é mais uma colaboração do Educador Físico Jair Silvany, componente da Equipe Sallus Saúde Integrada.

Olá pessoal!



Dando uma pausa na nossa série de mitos sobre atividade física, gostaria de abordar um fato que causou bastante polêmica. Trata-se da “Musinha fitness”. A “Musinha Fitness” é uma garota de 9 anos que possui um perfil “fitness” no Instagram. Em seu perfil, aparecem fotos e vídeos dela praticando exercícios funcionais orientada pelo pai.

O fato de vermos uma criança em um ambiente de academia pode causar muito desconforto, mas será que isto está totalmente errado? Qual seria a melhor atividade física para a criança?

Sabemos que a prática de exercícios físicos é muito importante para o desenvolvimento de uma criança, mas por que a musculação, em específico, é tida como ruim para ela? Utilizar carga nos exercícios é prejudicial - este é o argumento que a maioria dos profissionais utiliza, contudo, não está totalmente certo. Se uma criança brinca de morto/vivo, ela esta fazendo um movimento de agachamento com uma carga que é o peso do próprio corpo; se ela brinca de baleado (queimada), a bola que ela arremessa representa uma carga. Aí vocês vão me dizer: - Mas a carga nas brincadeiras é levinha. Concordo. O que quero dizer é que a carga está presente em todas as atividades que a criança faz, então, argumentar a carga por si só não é correto, já que em uma academia poderia utilizar pesos mais leves. O principal motivo que faz a musculação não ser uma boa indicação para as crianças é que, para se executar os movimentos de musculação com cargas (mesmo que aparentemente simples), é necessário um desenvolvimento motor que a criança ainda não tem e uma maturação de ligamentos e músculos que ela ainda não alcançou.

Então, qual seria a melhor atividade para a criança? É importante que os pais entendam que as crianças apresentam fases de desenvolvimento. Na maioria dos casos, o primeiro contato das crianças com esporte e outras atividades começa na escola.

Dos 2 aos 5 anos, é importante ter o máximo de estímulos. Correr, saltar, rolar, manipular objetos, entre outras coisas, deve ser incentivado ao máximo. Gostaria de destacar a natação, para essa idade, já que também trabalha o cardiorrespiratório e a familiaridade com o meio liquido é muito legal. Não indico esportes que tenham muito contato físico, como futebol, basquete, pois como elas não têm domínio motor, podem acabar se machucando.

A partir dos 6 anos, com o desenvolvimento motor mais avançado,  a criança já pode trabalhar algumas outras habilidades psicomotoras como noção espacial, tempo e ritmo, senso de direção, lateralidade e coordenação motora. É característico nessa, idade o desenvolvimento de um egocentrismo, então é importante estimular a socialização, a participação e o trabalho em grupo. Para essa idade, balé, ginástica rítmica, esportes coletivos como futebol, basquete, vôlei eas artes marciais também são ótimas sugestões.

Após a puberdade, por volta dos 12 anos, já pode praticar qualquer atividade física ou modalidade, inclusive musculação.

Vale ressaltar que toda modalidade esportiva é indicada para qualquer a idade, cabe ao profissional adequá-la. A referência de idade que utilizei foi apenas um pequeno parâmetro. Cabe aos pais também perceberem as necessidades dos filhos e tentar desenvolvê-las. Outra coisa que vale ressaltar é que não precisa matricular a criança em 2 ou 3 modalidades, apenas uma já é suficiente.


É muito importante que a criança aprenda desde cedo a importância da prática da atividade física pois, além de estimular o corpo, desenvolve a mente. Hábitos saudáveis, adquiridos desde cedo ajudam a criança a ter uma melhor qualidade de vida quando adulta, prevenindo possíveis doenças causadas pelo sedentarismo. (Leia também!)